Durante a Explosão Cambriana, há mais de 500 milhões de anos, os oceanos eram ocupados por criaturas estranhas que vivam na Terra. Uma dessas espécimes foi recentemente descoberta nas montanhas canadenses e agora é um dos maiores animais conhecidos da época.

O animal é Titanokorys gainesi e se assemelha a um tanque e tinha olhos multifacetados, uma boca em forma de anel que se parece com uma fatia de abacaxi, garras para capturar a presa, abas para nadar e uma cabeça coberta por uma enorme carapaça . Era membro de um grupo de artrópodes primitivos chamado radiodontes, a morfologia do fóssil e as circunstâncias de sua descoberta foram publicadas na quarta-feira (08) na Royal Society Open Science.

“Os primeiros espécimes foram encontrados em 2014, mas não até 2018 que descobrimos uma carapaça particularmente intocada [e] reconhecemos a importância desta descoberta”, disse Joe Moysiuk, paleobiólogo do Royal Ontario Museum em Toronto e coautor do artigo, em um e-mail para o Gizmodo US. “Meu coautor Jean-Bernard dividiu uma placa particularmente grande de xisto, e eu me lembro de ter ouvido um suspiro seguido de muitos gritos e todos se aglomerando ao redor. Encontramos muitas coisas legais, mas essa realmente deixou uma impressão!”.

Titanokorys gainesi
O espécime holótipo de T. gainesi, com carapaça na parte inferior e duas placas de crista na parte superior. Foto: Jean-Bernard Caron, Royal Ontario Museum

A equipe encontrou o fóssil em Burgess Shale, no Canadá, um trecho de rocha no oeste da América do Norte que rendeu restos bem preservados de animais que viveram durante o período Cambriano (541 a 485 milhões de anos atrás), quando a área era coberta por mar. O T. gainesi e outros predadores como ele seriam uma espécie de filtro, vasculhando a lama e sugando qualquer pedaço que serviam para se alimentar.

Parte desse leito marinho petrificado, levantado com o tempo por mudanças tectônicas, agora compõe o xisto no alto do Parque Nacional Yoho, no Canadá. Para fazer o fóssil descer a montanha, disse Moysiuk, a equipe o embrulhou em espuma, fita adesiva e pedaços cortados de macarrão de piscina e, em seguida , suspendeu o pacote de um helicóptero.

Dois anos atrás, a mesma equipe encontrou um animal semelhante em forma do T.gainesi ; eles o chamaram de Cambroraster falcatus pela forma como se assemelhava a Millennium Falcon do Han Solo da franquia Star Wars. A pedra preserva até mesmo os restos de tecido mole dessas criaturas cambrianas, o que significa que os paleontólogos podem estudar suas relíquias evolutivas minúsculas em mais detalhes do que em muitos dinossauros, que apareceram cerca de 300 milhões de anos depois.

Talvez a característica mais impressionante do T. gainesi seja seu tamanho. A maioria dos animais que habitavam os oceanos Cambrianos eram menores do que um dedo mindinho; este tem cerca de trinta centímetros de comprimento. Se tivesse a altura humana média, um T. gainesi em proporção relativa teria quase 12 metros de altura.

“O tamanho deste animal é absolutamente alucinante, este é um dos maiores animais do período cambriano já encontrado”, disse o autor principal Jean-Bernard Caron, paleontólogo do Museu Real de Ontário, em um comunicado à imprensa do museu.

Assine a newsletter do Gizmodo

“Esses animais enigmáticos certamente tiveram um grande impacto nos ecossistemas do fundo do mar cambriano. Seus membros na frente pareciam múltiplos ancinhos empilhados e teriam sido muito eficientes em trazer qualquer coisa que capturassem em seus minúsculos espinhos para a boca. A enorme carapaça dorsal pode ter funcionado como um arado”, acrescentou Caron.