Em agosto do ano passado, o fotógrafo Will Burrard-Lucas assumiu a tarefa da WWF de captar a região de Zambezi, na Namíbia. Durante os três meses de trabalho, suas armadilhas fotográficas clicaram imagens memoráveis de uma das regiões de vida selvagem mais longínquas que se tem notícia.

Diferente de outros fotógrafos especializados em natureza, essas câmeras escondidas têm a vantagem de tirarem os humanos da cena, permitindo que fotógrafos e conservacionistas observem os animais em seu habitat natural. E mais, elas funcionam 24 horas/7 dias por semana e são acionadas a partir de sensores. Para o projeto, Burrard-Lucas usou cinco câmeras DSLR conectadas a um sensor de presença. Este pequeno vídeo abaixo mostra uma de suas armadilhas fotográficas sendo instalada.

“Um dos fatores que faz esse projeto tão único para mim é que esses animais eram tão acanhados que eu não vi nenhum deles com meus próprios olhos”, disse Burrard-Lucas ao Gizmodo. “Eu não sabia direito o que minhas armadilhas fotográficas captavam até eu checar os cartões de memória. Isso era sempre muito empolgante — era como se eu estivesse abrindo presentes no dia do Natal.”

Burrard-Lucas disse que ficou “completamente impressionado” pelo o que foi capturados pelas câmeras.

Veja aqui todas as fotos em uma página só.

Trabalhando com Lise Hanssen, do Kwando Carnivore Project, Burrard-Lucas conseguiu capturar milhares de fotos durante o projeto. Essas imagens ajudarão conservacionistas a entender o comportamento animal e padrões de migração, além de também ajudar a estabelecer mais áreas protegidas para estes animais.

“A abundância de animais era alarmante. Particularmente, eu tinha visto poucos deles fora de parques nacionais, e eles estavam em área próximas a zonas habitáveis”, disse ele. “Espero que essas imagens possam ser usadas para mostrar às pessoas o quanto que a vida selvagem ainda fica em áreas desprotegidas, espero que isso inspire as autoridades a preservá-las antes que seja tarde.”

Sob a orientação de Hanssen, Burrard-Lucas conseguiu colocar armadilhas em locais estratégicos, com próximos a buracos com água. Dentre os carnívoros capturados têm: leopardos, hienas, mabecos (cães-selvagens-africanos) e até um serval.

“É claro, minhas armadilhas fotografaram muitos outros animais”, ressalta Burrard-Lucas em seu website. “Uma em particular, posicionada próximo a um buraco, capturou um número incrível de elefantes, girafas, elandes, gnus, javalis e porcos selvagens. De fato, acho que eu tenho dez imagens de aves numididae para cada animal que fotografei. A triagem de todas essas imagens levou um bom tempo!”.

Você pode ler mais sobre o WWF (World Wildlife Fund) aqui.

Todas as imagens por Will Burrard-Lucas/WWF-US