A Motorola chamou a atenção este ano com o primeiro tablet a rodar Honeycomb, o Android feita para tablets. Eu gostei do que vi em janeiro, mas o aparelho ainda não estava pronto. Agora, ele já está à venda nos EUA (chega ao Brasil em abril), e os principais sites de tecnologia já deram sua opinião sobre o primeiro concorrente de fato para o iPad (mal aê, Galaxy Tab). Afinal, como é a sensação de usar o Xoom? O tablet é rápido mesmo? E o novo Android, é bom de usar, e fácil de se acostumar? Eis cinco opiniões sobre o Motorola Xoom.

Foto inicial por CrunchGear

Resumo – Principais pontos

Positivos

O Xoom é bonito, robusto e bem construído, com a parte de trás emborrachada; o design é pouco inspirado, mas isso não é problema. A parte da frente é ótima: limpa e sem botões, a tela widescreen chama a atenção, com ângulo de visão bom, e a resolução permite pequenos detalhes na interface.

O aparelho é mesmo potente, com seu processador dual-core e chip gráfico da Nvidia, e mesmo com hardware mais exigente, a bateria dura bastante e não decepciona. A câmera frontal é boa e útil.

O sistema de fato é pensado para um tablet: com o Honeycomb, o Xoom de fato fica no espaço entre um smartphone e um laptop. A interface e a usabilidade são boas. E os apps que acompanham o sistema são competentes e mostram o potencial da plataforma. Em geral, o Xoom é um tablet bastante adequado para leitura e para assistir vídeos.

Negativos

Parece que na parte de trás do aparelho é que ficam vários problemas. A cobertura de plástico parece raspar muito fácil; o botão de liga/desliga/trava é pequeno demais e funciona mal; os alto-falantes (na parte de trás) são mal posicionados, já que o som vai na direção oposta a seus ouvidos; e a câmera traseira é boa, mas difícil de usar e provavelmente inútil. A tela, por sua vez, fica cheia de marcas de dedos, mesmo com pouco tempo de uso.

Apesar de ter hardware mais potente que o iPad, o Xoom não é muito mais rápido, e ainda sofre de instabilidade e fica lento demais com muitos apps abertos. E ainda há poucos apps disponíveis que foram pensados para o tablet, e alguns apps para Android 2.x funcionam mal no Honeycomb.

O Android melhorou bastante no Honeycomb, mas ainda sofre com inconsistências na interface, e funções difíceis de achar ou usar – e mesmo quem já usa Android precisa se acostumar. O Xoom tem problemas com codecs de vídeo, e um app de vídeo simples demais. Bateria não-removível. Preço salgado (nos EUA, pelo menos), o que pode afetar a popularização do Honeycomb.

Foto por Engadget

Hardware

Engadget: “O Xoom é um tablet com design atraente, mas à primeira vista, você vai achar que já viu isto antes. Talvez seja porque se pode fazer pouco dentro das limitações do formato tablet (ou a Motorola não está se esforçando)… Não há muito de original no design industrial que temos aqui. E para nós, tudo bem.

“Com 25cm de largura e 16,8cm de altura (e espessura de 1,27cm), o aparelho não é muito pesado (apesar de ser meio ruim de segurá-lo na vertical), e seus 730g dão um pouco de peso sem acabar com seus braços – apesar de ele forçar seus músculos um pouco se você segurar o tablet por um longo período de tempo. (…)

“Na parte de trás do aparelho, a Motorola fez a estranha escolha de colocar o botão liga/desliga/trava perto da lente da câmera e do flash – e esses componentes têm alto-falantes estéreo ao lado. Nós tivemos muitos problemas tanto com os botões de volume, como com o botão liga/desliga no dispositivo; nós vimos que os botões de volume são difíceis de usar, são muito rasos e posicionados bem perto de um encaixe do aparelho. O botão liga/desliga foi pior ainda: nós não nos importamos tanto com a localização dele, mas assim como os botões de volume, o pequeno círculo [do botão liga/desliga] é muito raso – e pior, ele ficou preso várias vezes quando o usamos! Em vez de destravar ou travar o aparelho, nós recebíamos a mensagem de desligar o Xoom.”

Wired: “O painel traseiro emborrachado tem pegada o suficiente para você não precisar pegar o tablet com as duas mãos enquanto você lê. Se você sente cansaço de segurar seu iPad com uma mão por muito tempo como eu, você vai gostar disto.”

CNET: “A borda da tela, mais fina, oferece menos espaço para seus dedos pegarem a tela, tornando menos confortável segurá-lo com uma só mão. E apesar de o Xoom ser apenas 45g mais pesado que o iPad original, a borda menor e o formato mais largo do Xoom o tornam perceptivelmente mais pesado de segurar na mão.”

MSNBC: “Apesar de ser bem robusto, o tablet é feito de um plástico que raspa tão facilmente que eu deixei marcas de arranhão quando eu o removia (com cuidado) da embalagem. Os arranhões podem ser limpados e removidos, mas este aparelho sempre vai parecer ter sofrido na guerra.”

Crunchgear: “Ele tem dois LEDs, um que sinaliza e-mails e coisas do gênero na parte direita, e uma luz pequena vermelha que liga quando você ativa a câmera frontal. A bateria não é removível.”

Foto por Engadget

Processador e memória

Crunchgear: “Fiquei impressionado com o processador Tegra 2 dual-core do Xoom. Ele é bastante rápido e a maior parte das atividades leva apenas segundos. Ele ganhou do iPad em carregamento de páginas da web lado a lado em vários testes. Agora a má notícia: se você abrir apps demais, ele fica terrivelmente lento. Os horrores que a Apple parece ter evitado no iOS estão bem aparentes aqui. Eu vi alguns apps travando e fechando, e muitos apps feitos para Android 2.x travaram. Se você for vigilante, você pode manter a velocidade fechando apps seletivamente, mas os resultados são em geral frustrantes.”

Engadget: “Nós tivemos alguma lentidão enquanto transferíamos arquivos ou mudávamos rapidamente de um app para outro, mas ficamos impressionados pela robustez e velocidade dos aplicativos como o navegador e alguns dos jogos inclusos. A agilidade na resposta da interface e do toque estavam em linha com o melhor que o iPad tem.”

Bateria

MSNBC: “Todo esse desempenho parece não ter um impacto negativo real na duração da bateria: depois de testá-lo nos últimos dias, eu concordo com a afirmação de 10h de bateria que a Motorola faz… Um rumor é que o [Adobe] Flash vai prejudicar a duração da bateria – se é verdade ou não, isso só seria relevante se você ficasse assistindo vídeo em Flash por horas sem fim… O Adobe Flash que os tablets com Honeycomb deverão suportar ainda não está pronto, então não pude testá-lo.”

Engadget: “A duração da bateria no Xoom foi excelente. Mais que excelente, na verdade: um dos melhores desempenhos que já vimos em um tablet. Rodamos um vídeo em loop com a tela a 65% de brilho, e conseguimos reproduzi-lo por quase oito horas e meia.”

Tela


Imagem por Engadget

CNET: “A qualidade da tela é excelente. Não conseguimos encontrar nenhum ângulo de visão ruim em nenhuma das direções, e a densidade de pixels de 150dpi é adequada tanto para imagens, como para texto. Dito isto, a tela não fica tão brilhante quanto a do iPad, o que se torna um problema se você está tentando ver a tela em um espaço aberto.”

Crunchgear: “A tela é o grande chamariz deste aparelho. As 10 polegadas brilhantes são maravilhosamente ágeis ao toque e a resolução de 1280×800 permite diversos detalhes na interface, nos ícones, e durante reprodução de música… Mas temos más notícias de novo: este aparelho é suscetível demais a marcas de dedo. A parte frontal e traseira dele ficaram uma bagunça depois de alguns minutos.”

Câmera e multimídia


Foto por Wired

Engadget: “Não há dúvida que é bom ter uma câmera de 5MP e flash LED na parte de trás do Xoom, mas encontramos muito pouca utilidade em ter uma câmera boa num aparelho deste tamanho. É difícil imaginar uma situação onde você esteja usando o Xoom como sua câmera principal. Além de ficar ridículo, não é nada conveniente segurar algo tão grande quando você está tentando tirar fotos. Outro problema é a quantidade de reflexo na tela: tirar fotos à luz do dia provou ser um desafio, e às vezes não conseguíamos nem ver a tela bem o bastante para tirar uma foto.

“Dito isto, a câmera traseira produziu fotos relativamente boas… apesar de a interface [da câmera] no Honeycomb ser aproximadamente mil vezes melhor e mais agradável de usar [que em um smartphone]…

“Quanto à câmera frontal, você pode esperar o de sempre. Duvidamos que você use esta câmera para tirar fotos, mas para arrumar o cabelo e fazer videoconferência, ela faz um bom trabalho.”

Fotos por AnandTech. Clique para ampliar. Veja mais fotos na galeria do AnandTech

Crunchgear: “O Xoom oferece uma experiência frustrante de reprodução de mídia. Enquanto eu consegui tocar música no aparelho sem problemas, os vídeos se recusaram a tocar. Eu passei alguns AVIs de vários tamanhos, incluindo alguns que haviam funcionado em versões anteriores do Android. Formatos e codecs são difíceis, e apesar de as limitações estritas da Apple para recodificação e resolução sejam inconvenientes, pelo menos é fácil para o usuário final simplesmente dizer “faça isto tocar no meu dispositivo”. Isso é mais difícil no Honeycomb, mas isto provavelmente deve melhorar com o tempo.”

Wired: “O maior problema com o som? Os alto-falantes estão na parte de trás do tablet. Eles ficam bem se você virar o tablet para os alto-falantes ficarem na sua frente, mas se você segurar o Xoom de forma a ver a tela, o som é projetado para longe da sua cabeça. Tudo soa abafado: o diálogo em um filme é difícil de entender, e a música soa simplesmente morta, sem vida.”

Android

Foto por Engadget

CrunchGear: “O Xoom é um tablet com Android, não um celular gigante. A interface é impressionante e o uso do espaço na tela é excelente. (…) Em resumo, o Google de fato levou o Honeycomb a um outro nível, em termos de interação em tablets.”

MSNBC: O que está mais incerto é se a Apple vai responder às vantagens da interface de usuário do Honeycomb. Estou muito próximo de amar a tela inicial, cinco painéis que podem conter não apenas ícones, como também… widgets. Navegue por vídeos do YouTube ou livros recém-comprados, veja a lista de e-mails ou de compras, obtenha atualizações de redes sociais como Facebook e Twitter, tudo sem sair da tela inicial. (…)

“O que já me deixa feliz é o sistema de notificação. Usuários do Android amam aquela bandeja que desliza para baixo do topo da tela… Mas isso é um pouco deselegante. No Honeycomb ele é mais elegante, surgindo da parte de baixo com um toque. Todos os meus e-mails, feeds de notícias, atualizações sociais, de apps e do sistema ficam visíveis lá. Parece que estou usando um PC, mas isso é bom.

“O gerenciador de apps, um botão pequeno no canto inferior esquerdo da tela, traz miniaturas dos cinco apps mais recentes e o conteúdo da tela e é um toque de brilhantismo, e ganha de lavada do gerenciador de multitarefa banal do iPad.”

CNET: “A maior complexidade e sofisticação do Honeycomb é uma faca de dois gumes… Apesar de o iOS ser rejeitado por usuários que o consideram terrivelmente simples, o Android Honeycomb às vezes é desnecessariamente enigmático. Uma tarefa simples como abrir a tela de trava funciona como um teste de QI. A personalização da tela inicial está separada em categorias diferentes para widgets, atalhos de apps, e atalhos específicos de apps, como favoritos do navegador e marcadores do Gmail. Alguns usuários vão adorar a flexibilidade e opções que o Honeycomb tem a oferecer, mas provavelmente haverá quem não goste dessa complexidade.”

Apps

Foto por Engadget

MSNBC: “Os primeiros apps a chegarem para o Honeycomb são do próprio Google, e muitos são o que você esperaria. O navegador funciona muito bem… O Mapas é uma versão aumentada do app 3D que chegou aos celulares com Android há alguns meses. O Google Talk tem suporte embutido para conferência em vídeo; ele foi útil, mas funcionou mais ou menos. O Gmail é ótimo. A abordagem de duas colunas no e-mail – caixa de entrada na esquerda, texto do e-mail na direita – pode ser clichê, mas é clichê pelo simples motivo que é a melhor forma de ler e-mail. O app de música tem uma cópia fluida do “Cover Flow” da Apple… O YouTube é só o YouTube, só que agora você tem uma parede enorme de miniaturas quando você o abre. E o app de Livros tem um efeito de mudança de página em 3D que é decididamente encantador. E talvez o mais inesperado seja o Movie Studio, um pequeno editor de vídeos ótimo, com controles bastate intuitivos.

“O Android App Market só esta noite recebeu o nome de “Apps do Android para Tablets” – pelo menos, apareceu assim no Market do Xoom – e o que vai aparecer debaixo desse título é algo em que ficaremos de olho nos próximos dias e semanas. O sucesso dos tablets com Android será medido pelo que os outros desenvolvem para eles…”

Crunchgear: “Outro problema acontece quando você roda apps para versões anteriores do Android. O Twitter parece funcionar bem, mas jogos com o abominável Super Android Bros, um clone de SMB, ficou com as arestas corrigidas demais, e granulado. Como apps para iPhone rodando no iPad, o resultado não é excelente.”

Foto por AnandTech

Concorrência (iPad e outros tablets com Honeycomb)

Wired: ” Com um preço de entrada de US$800 (ou US$600 se você entrar em contrato de dois anos com a operadora), o Xoom exige mais do consumidor que o líder de mercado da Apple… Por este motivo, acreditamos que menos pessoas devem ir ou mudar para o Xoom. Quem for, estará atraído pelo formato widescreen e a capacidade de comprar apps sem ter que passar pela restritiva App Store da Apple.

Para quem procura uma experiência mais bem-acabada e elegante, no entanto, recomendamos esperar por um futuro tablet com Android – ou o iPad. O Xoom é um concorrente de verdade, mas ainda não se compara ao líder do mercado.”

CNET: “O Motorola Xoom oferece muitas funções que o iPad não pode fornecer, mas ainda há trabalho a ser feito pela Motorola e pelo Google. Pra começo de conversa: apps. Fora jogos (que são facilmente adaptáveis para a tela maior), o Xoom tem apenas uma fração de conteúdo específico para tablet. E tem o iTunes. Com a tela HD do Xoom, é uma pena não haver uma forma fácil de alugar ou baixar filmes e séries… Apesar de ter uma lista de especificações impressionante (e um preço alto), o dispositivo aparentemente não oferece nenhuma vantagem de velocidade em relação ao iPad. Para tarefas do dia a dia, como reproduzir vídeo, jogar, navegar na web e enviar e-mails, o Xoom e o iPad da primeira geração se comportam quase da mesma forma.”

MSNBC: “O Xoom está liderando um pelotão de tablets… dentre os quais o LG G-Slate e o Samsung Galaxy Tab de 10,1 polegadas. Supondo que você queira Android e nada mais, qual você escolheria? …[N]ão há muito que diferencie um do outro: todos virão com processador dual-core de 1GHz, todos terão tela widescreen de 10 polegadas, todos terão Honeycomb. Você vai ter dificuldade em diferenciá-los na vida real, e apesar de os preços não terem sido anunciados para os dois outros tablets, sua carteira vai ter dificuldade em diferenciá-los também. Por isso é uma pena que os tablets com Android custem tão caro.”

Conclusão

Foto por CrunchGear

Engadget: “Apesar das ressalvas que mencionamos neste review, há muito a se gostar no Xoom… O problema com o Xoom não está na experiência básica ou na essência do hardware – está nos detalhes. Muitas coisas tanto no design (como os botões ruins) e no software (como a sensação de tudo estar em beta) faz imaginar se este produto não foi apressado para chegar ao mercado a fim de competir com a próxima geração da Apple. Enfim, no momento não há muito para consumidores aqui. O Android Market está praticamente sem aplicativos para tablet, o OS tem vários bugs e parece inacabado, e o hardware tem pontos de dor que consideramos problemáticos…

“O Honeycomb e o Xoom são espetaculares – infelizmente, eles são um trabalho espetacular em andamento.”

Crunchgear: “Este é o primeiro de muitos tablets com 3.x a trazer seus reinos de glória sob nós. Mas ele é – ou será – o melhor tablet com Honeycomb no mercado? Eu duvido… Se você não pode esperar mesmo, este é um ótimo tablet para você. Mas em alguns meses, podem acontecer mudanças no mercado do Honeycomb que vão tornar o Xoom não um sucesso, e sim só mais um.”

O Anandtech também diz estas sábias palavras: “Esta conclusão obviamente é injusta para a Apple, dado o iminente lançamento do iPad 2, mas se eu fosse comprar um tablet hoje, provavelmente seria um Xoom. Mas, se eu não fosse louco, eu esperaria primeiro para ver o que vai ser anunciado dia 2 de março.”

Notas: Engadget: 7/10; Wired: 6/10; CNET: 7,7/10 (os outros sites que consultamos não dão nota)

E o review do Gizmodo Brasil?

Nós receberemos o aparelho para testar, então conte com um review Made in Brazil nas próximas semanas. Vale lembrar que o Xoom deve ser lançado no Brasil em abril, por um preço “competitivo” – apostamos um valor na casa dos R$2.400, mas o preço oficial ainda não foi anunciado.

Leia os reviews completos aqui: [Engadget, CrunchGear, MSNBC, Wired, CNET e AnandTech]