Após um desastre nuclear, a vida selvagem tende a prosperar em áreas contaminadas, que quase não são acessadas por humanos que potencialmente caçariam esses animais. Nas florestas da região de Fukushima, no Japão, a população de javalis selvagens está crescendo de forma preocupante.

>>> Limpeza de Fukushima desperdiçou meio bilhão de dólares em tecnologia ruim

Segundo o The Independent, os javalis estão se alimentando de comida contaminada, o que os torna inseguros para consumo humano. Além disso, eles vêm se reproduzindo de forma descontrolada. De acordo com o Sunday Times, a população deles passou de 3.000 para 13.000 desde 2014 — três anos após o desastre na usina nuclear de Fukushima.

O boom populacional de javalis selvagens se tornou um grande problema para a agricultura local, causando danos na casa dos US$ 900 mil para as fazendas fora da zona de quarentena.

Caçadores estão autorizados a abater os animais, mas se livrar das carcaças deles representa um grande problema logístico. Valas foram escavadas para armazenar os javalis. Após alguns dias, funcionários do governo passam para pegar os bichos e incinerá-los em locais especiais, que impedem que o material radioativo se espalhe. Infelizmente, essas instalações só permitem incinerar três javalis por dia, o que vem tornando a situação insustentável.

[The Independent]

Foto por Don McCullough/Flickr