Depois de mexer no Tablet de 8.9 hoje (hands-on logo mais), confirmei a minha impressão de que 7 polegadas é realmente muito pouco para um tablet. As revistas não cabem em sua diagramação original, as páginas exigem um bocado de rolagem e zoom, os jogos não se beneficiam (tanto que há pouquíssimos títulos originais que levam o tamanho de tela do Tab em consideração). Pode soar meio duro, mas não há qualquer coisa que se faça no Tab que você não faça tão bem ou melhor no Galaxy S, que ainda tem as vantagens de ser mais portátil, ter uma câmera melhor e ser mais rápido (mais espaço de tela exige mais do processador, que pede água muitas vezes).

A não ser que você queira desesperadamente  um smartphone com 7 polegadas, por qualquer motivo (ver TV, imagino), vale esperar um pouco – Xoom, os novos Tab, maiores e o Optimus Tab/G Slate da LG, que chegam no primeiro semestre, são alternativas melhores se você quiser um tablet, mas por algum motivo específico não considerar um iPad.

Avaliando friamente, quer dizer que as 7 polegadas foi um experimento falho? Aparentemente há gente que gosta, já que há muitos modelos de fabricantes menores com o mesmo tamanho. E a própria Samsung deve apostar ainda no formato (enfatizando o “quem decide o tamanho ideal é o usuário), e anunciará um update de hardware do atual modelo em breve.

Por esta e por outras, para mim, comprar um Galaxy Tab agora parece fazer muito pouco sentido, apesar da insistente campanha publicitária. As pessoas reclamam de “obsolescência programada” nos produtos da Apple, mas me parece que o Tab foi o supra-sumo desse vício da indústria de gadgets. Nunca vi um upgrade tão radical em um período de tempo tão curto – o corte de R$ 900 no preço original são uma medida disso. O Tab original foi anunciado em setembro, começou a ser vendido em novembro e em fevereiro já havia claramente sido superado, com o anúncio do modelo de 10.1 em Barcelona. Os novos Tab são feitos com material melhor, processador dual core, tem uma tela muito, muito superior e, mais importante, são tablets de fato, com o novo Honeycomb. Mas talvez os donos de Tab aí nos comentários pensem diferentes. O que me dizem?

* O Gizmodo Brasil viajou ao CTIA Orlando a convite da Eyo, e vê robôs verdes quando fecha os olhos.