Os cientistas passaram uma década tentando — e não conseguindo — mapear a estrutura de uma enzima que pode ajudar a resolver uma parte crucial do quebra-cabeça do vírus da AIDS. Um grupo de gamers precisou de apenas três semanas.

A enzima em questão é a protease do vírus dos macacos de Mason-Pfizer, e pesquisadores vêm buscando formas de desativá-lo para assim descobrir novas formas de desenvolver drogas anti-HIV. Infelizmente, os esforços convencionais de computadores e cientistas foram pouco durante anos.

Eis que entra no jogo a Foldit. a Foldit foi desenvolvida em 2008 como forma para descobrir estrutura de várias proteínas e aminoácidos — algo que computadores não sabem fazer muito bem — ao transformar o problema em um jogo. Ao adicionar as coordenadas experimentais à enzima do vírus do macaco, os gamers — vários deles sem nenhum tipo de conhecimento passado em biologia molelucar — foram capazes de prever a estrutura da proteína, permitindo que os cientistas marcassem localizações precisas e parassem o crescimento do vírus.

O estudo, publicado na Nature Structure & Molecular Biology, detalha quão incrível um passo desse é para o desenvolvimento de terapias mais efetivas para pacientes com AIDS. Trata-se também de um precedente importante que estabelece uma base para que cientistas e pessoas comuns trabalhem juntas para resolver novos problemas e salvar vidas. O que é algo incrível. [Sydney Morning Herald via The Next Web]