Autoridades do Irã prenderam quatro garotas e mulheres na semana passada por postarem vídeos dançando no Instagram. Só uma das garotas, a ginasta de 17 anos de idade Maedeh Hojabri, foi identificada. A TV estatal do Irã transmitiu sua “confissão” na sexta-feira (6).

O Instagram é uma das poucas redes sociais ocidentais que não são fortemente censuradas no Irã, e Hojabri postou cerca de 300 fotos e vídeos antes de sua conta ser temporariamente derrubada. O perfil parece estar de volta, e Hojabri publicou um novo vídeo horas atrás, dirigindo-se a seus críticos.

Hojabri, que, supostamente, falava bastante sobre ginástica e parkour em seus vídeos, não estava vestindo um hijab nos vídeos que a colocaram em apuros, o que é exigido das mulheres por lei no país.

Como informa o Guardian, não se sabe muito sobre Hojabri, mas ela se tornou o rosto de um movimento de resistência contra as leis para as mulheres no país islâmico. Uma hashtag, “#مائده_هژیری”, surgiu, que se traduz aproximadamente como “#dançar_não_é_um_crime”. Como era de se esperar, a maioria das pessoas supostamente suspeita que a “confissão” de Hojabri na sexta-feira foi feita sob pressão das autoridades iranianas.

“Não era para atrair atenção”, disse uma das mulheres presas, em lágrimas, durante um programa de TV na sexta-feira, diz o Guardian. “Eu tinha alguns seguidores, e esses vídeos eram para eles. Eu não tinha intenção alguma de encorajar outras a fazer o mesmo… Não trabalhei com uma equipe, não recebi treinamento. Só faço ginástica.”

Alguns dos vídeos de Hojabri ainda estão disponíveis online, tanto no Instagram quanto no Twitter, e eles a mostram fazendo nada que seria considerado escandaloso mesmo para públicos mais conservadores do Ocidente.

Mulheres no Irã postaram vídeos de protesto dançando no Instagram, e outras manifestações contra as leis de uso de hijab do país explodiram nos últimos meses. O hijab é obrigatório no Irã desde a revolução de 1979.

Como aponta a BBC, seis garotas iranianas receberam sentenças de um ano de prisão e 91 chibatadas depois de serem condenadas em 2014 por postarem vídeos dançando a música “Happy”, de Pharrell Williams.

Não está claro qual a sentença que Hojabri pode receber por seus vídeos de dança, mas ela teria sido solta sob fiança, junto com as outras três mulheres. De acordo com a Associated Press, as autoridades iranianas estão considerando bloquear o acesso ao Instagram, mas nenhuma decisão final foi tomada. As pessoas no Irã normalmente contornam bloqueios governamentais em sites como Facebook, Twitter e YouTube usando VPNs.

[Associated Press, BBC e The Guardian]

Imagem do topo: Reprodução