Os gatos têm um papel essencial em nossas vidas cotidianas. Eles têm tantas funções pela casa, como monitorar os humanos no banheiro, derrubar coisas das mesas, certificando-se de que a gravidade ainda existe, e, mais importante, ser nossos amigos de aconchego. Embora os gatos possam parecer perfeitamente contentes em ser preguiçosos, a realidade é que eles têm aplicado um longo golpe na humanidade por milhares de anos. Uma nova pesquisa rastreando a paleogenética dos gatos na Europa, na Ásia e na África antigas prova o que a internet há muito tempo sugere: os gatos já dominaram o mundo, e não há nada que possamos fazer.

• Por que cheiro de cocô de cachorro é tão ruim para nós e tão bom para os cachorros
• Cientistas encontram bebê pássaro de 99 milhões de anos de idade quase inteiro dentro de âmbar

O estudo, publicado nesta segunda-feira (19) na Nature Ecology & Evolution, analisou o DNA de 200 gatos antigos e modernos, em um período que pega os últimos nove mil anos. O trabalho permitiu aos pesquisadores determinar a estrutura filogeográfica original dos gatos — ou como populações de gatos eram geneticamente diferentes geograficamente, distribuídas ao longo da história —, algo que outras análises arqueológicas e genéticas não conseguiram alcançar.

“Isso, por sua vez, possibilitou reconstruir como os gatos foram movidos pelos humanos ao longo do tempo e do espaço, permitindo-nos provar que os gatos de duas fontes diferentes — o Oriente Próximo, durante o Neolítico, e o Egito, durante o Período Clássico — contribuíram com a composição genética dos gatos domésticos modernos”, contou ao Gizmodo o coautor do estudo Claudio Ottoni, da Universidade de Leuven.

As primeiras linhagens de gatos, chamados de IV-A, eram originalmente do Sudoeste da Ásia, mas foram levados à Europa por volta de 4400 a.C. O segundo grupo de gatos eram felinos africanos, chamados de IV-C, encontrados no Egito há mais de 3.000 anos. Os gatinhos IV-C eram pequenos exploradores do Mediterrâneo, evitando a proliferação de roedores ainda na baía, em vários navios comerciais. Os pesquisadores sugerem que ambos os grupos de gatos domésticos provavelmente acasalaram com gatos selvagens em suas respectivas regiões, trazendo mais e mais variedades ao planeta.

Os gatos foram domesticados depois dos cachorros, começando cerca de 10 mil anos atrás, em comunidades agrícolas no Oriente Próximo. Mas foi no Egito Antigo que eles tiveram sua primeira inflada de ego de verdade. Os egípcios adoravam uma deusa metade mulher e metade gato chamada Bastet. Gatos eram mumificados, e seus donos entravam em luto formalmente, depilando suas sobrancelhas quando seus gatinhos morriam.

“Argumentamos que o contexto social e cultural peculiar da sociedade egípcia pode ter facilitado a evolução de uma disposição mais ‘amigável’ dos gatos em relação aos humanos”, explicou Ottoni. “De seu papel de agentes de controle de pragas que caracterizou seu relacionamento com os humanos desde o Neolítico, é possível que os gatos no Egito tenham se tornado as companhias que conhecemos hoje.”

s8c9knwdphzxdvmjdqs9

Minha gata, Artemis, enquanto eu escrevo esse artigo (Imagem: Rae Paoletta)

Então os gatos estão preparados para dominar o mundo? De acordo com Ottoni, já o fizeram.

“Os gatos já ‘conquistaram’ as regiões mais remotas do mundo (eles estão em todos os continentes, exceto a Antártida)”, disse. “Ecologicamente falando, isso vem com um preço: os gatos são animais de estimação fofinhos, mas também são uma espécie altamente invasiva, com um impacto em espécies nativas de regiões em que foram introduzidos por humanos (particularmente nos Estados Unidos e na Austrália).”

Ottoni acrescentou que os gatos “definitivamente já conquistaram o consciente coletivo dos humanos”, alcançando um lugar estável tanto dentro de nossas casas quanto na internet.

Mesmo que você não goste de gatos, precisa reconhecê-los por fazer do mundo sua caixa de areia há milhares de anos. Eu, por exemplo, dou as boas-vindas aos nossos soberanos felinos.

[Nature Ecology & Evolution]

Imagem do topo: Getty