Neste momento trágico para Steve Jobs, existe um ponto positivo: Tim Cook, que irá substituir Jobs como CEO da Apple, é um chefe extremamente minucioso e detalhista que tem revolucionado a maneira que os computadores são montados e assegurado a confiança dos empregados e parceiros da Apple. Ele também está destinado a se tornar um ícone para o movimento gay, como relatamos em janeiro.

Cook enviou ontem um e-mail para todos os funcionário da Apple, assegurando que nada irá mudar dentro da empresa.

Equipe:

Estou ansioso pela oportunidade incrível em servir como CEO da empresa mais inovadora do mundo. Ter me unido ao time da Apple foi a melhor decisão que já tomei e tem sido um privilégio trabalhar ao lado de Steve durante os últimos 13 anos. Eu compartilho do otimismo dele em relação ao futuro brilhante da empresa.

Steve foi um líder e mentor incrível para mim, assim como para toda a equipe executiva e para nossos funcionários. Estamos realmente ansiosos para receber as orientações e inspiração de Steve como nosso conselheiro.

Eu quero que vocês estejam confiantes de que a Apple não vai mudar. Eu estimo e celebro os princípios originais e valores da empresa.

Steve construiu uma empresa e uma cultura que são diferentes de qualquer outra no mundo, e nós vamos permanecer fiéis ao nosso DNA. Vamos continuar a fazer os melhores produtos do mundo, que encantam nossos clientes e enchem de orgulho nossa equipe.

Eu amo a Apple e estou ansioso para mergulhar em meu novo cargo. Todo o apoio da diretoria, da equipe executiva e de vários de vocês tem sido inspirador. Estou confiante de que nossos melhores anos estão por vir e que, juntos, vamos continuar a fazer da Apple o lugar mágico que é.

Tim

Mas quem é Tim Cook?

Como diretor de operações, Cook tem executado operações do dia a dia desde a mais recente licença médica de Jobs em Janeiro, deixando decisões estratégicas e outras prerrogativas de CEO para Jobs. O crescimento da Apple e o desempenho financeiro estelar continuou constante durante a sua liderança.

Quando Jobs deixou o cargo de CEO, ele disse que gostaria de continuar como presidente do conselho, onde ele iria manter uma autoridade substancial na empresa.

E nós fomos informados por uma fonte segura que Jobs na verdade foi para a sede da Apple o dia todo hoje e compareceu à reunião do conselho onde ele supostamente apresentou a sua carta de resignação, uma indicação de que os seus problemas de saúde não irão impedi-lo de participar de decisões chave.

Dito isto, é claro que a autoridade de Cook para tomar decisões irá aumentar significativamente – e que a Apple é responsabilidade dele agora. Nos sete meses desde que nós fizemos o seu perfil, o currículo de Cook só aumentou. Cook, que ainda não discutiu publicamente a sua sexualidade, foi nomeado o gay mais poderoso pela revista Out, mas ele também recebeu grande reconhecimento na imprensa pelos incríveis lucros que a Apple está colhendo devido à estratégia de cadeia de fornecimento, liderada por Cook, de usar o dinheiro da Apple para guardar componentes cruciais por meses ou anos, protegendo produtos como o iPad da escassez, garantindo forte crescimento e margem de lucro para a Apple e bloqueando possíveis rivais.

Hoje, Cook passou de um alto cargo executivo servindo de zelador da maior empresa de tecnologia do mundo para a liderança daquela que, em algumas ocasiões, é a maior empresa do mundo, ponto final. Ele também deixou de ser o homem gay mais poderoso do Vale do Silício para ser o homem gay mais poderoso do mundo, sem ressalvas.

Abaixo, nós revisitamos o perfil do Cook que fizemos em Janeiro. Se você nunca tinha ouvido falar do cara, agora é a hora.

Básico

Idade: 50

Emprego: CEO da Apple. O antigo CEO Steve Jobs pediu para se tornar presidente do conselho, uma jogada que o conselho ainda tem que aprovar.

Passado: Cook cresceu em Robertsdale, Alabama, o filho de um trabalhador de estaleiro aposentado. Ele obteve o título de bacharel em engenharia industrial da Universidade de Auburn em 1982 e um MBA da Universidade de Duke em 1988. Antes da Apple, ele passou uma temporada em uma revenda de computadores chamada Intelligent Electronics, trabalhou em logística de PC por 12 anos na IBM, e passou seis meses como vice-presidente de Materiais Corporativos na Compac. Ele entrou na Apple em 1998 como vice-presidente sênior de operações, supervisionando a fabricação de computadores. Depois Cook foi promovido a chefe de vendas internacionais e da divisão do Macintosh.

Riqueza: Cook vendeu ou acumulou mais de U$135 milhões em ações da Apple.

Profissional

Como ele conseguiu o emprego: Cook entrou na Apple em 1998, pouco após o retorno de Jobs à empresa, depois de resistir a exaustiva entrevista de Jobs. Jobs havia rejeitado diversos outros gerentes de operações antes de encontrar com Cook. De fato, outro executivo da antiga empresa de Cook, Compaq, supostamente durou apenas cinco minutos antes de Jobs dispensá-lo. A atitude “inabalável” de Cook pode ter sido o que garantiu o emprego. “Steve é muito focado em pessoas que ele pode se conectar emocionalmente,” um recrutador presente na entrevista teria dito depois.

Seus sucessos: Cook deixou sua marca logo cedo ao consertar as notórias ineficiências de fabricação da Apple: Ele arranjou fornecedores fisicamente adjacentes às fábricas da Apple, reduzindo assim o inventário – que ele considera “fundamentalmente ruim” – de 31 dias para apenas seis. Ele fechou fábricas e armazéns distantes da Apple e mudou para fabricantes terceirizadas. E ele ajudou a empresa a prever com precisão a demanda para produtos que ainda não haviam sido lançados, como quando ele pagou adiantadamente U$1.25 bilhões para monopolizar o mercado nos anos seguintes de um tipo em particular de memória flash que iria se provar crucial nos dispositivos da Apple que estariam por vir. Estas melhorias nas operações deram à Apple à agilidade necessária para fazer mudanças rápidas e dramáticas em seus produtos, como quando ela mudou toda a sua linha de computadores para chips Intel em 2006.

Cook também manteve a empresa no caminho certo como líder interino da Apple durante os dois meses de licença médica de Jobs em 2004 e seis meses de licença médica em 2009. Sua mão firme manteve o desenvolvimento do iPhone 4 e do iPad nos trilhos, aumentou as vendas do Macintosh e revigorou fortemente as ações.

O seu temperamento: Calmo, quieto – e mortal. Seu sotaque sulista e “comportamento cortês” podem desarmar os subordinados, e Cook nunca levanta a sua voz, mas sua carranca padrão e séria, e olhares com um silêncio desconfortável dão dicas sobre o líder exigente que ele é. Diz-se que ele mantém um catálogo com exaustivos detalhes sobre as operações da Apple em sua cabeça e espera que seus subordinados façam o mesmo. “Eu já o vi destroçar pessoas,” um antigo colega contou um perfil detalhado à revista Fortune em 2008. “Ele pergunta para você questões que ele sabe que você não pode responder, e continua insistindo. Isso não é engraçado, e não é divertido.”

Hábitos de trabalho: Vorazes. Cook é descrito como um workaholic que começa a mandar e-mails para seus subordinados às 4:30 a cada manhã todo dia e troca os famosos cafés da Apple por uma série interminável de barras de cereal, que ele frequentemente devora também durante as reuniões. O ex-COO se orgulha de ser o primeiro no escritório e o último a sair. Na IBM, ele se voluntariou para trabalhar na fábrica no Natal e no Ano Novo. Ele espera comprometimento similar dos outros; Cook uma vez mandou um subordinado direto de uma reunião na sede da Apple em Cupertino para um aeroporto na China, sem tempo nem mesmo para pegar uma muda de roupas ou descobrir a data de retorno. “Por que você ainda está aqui?” foi o adeus de Cook, dito no meio da reunião.

Defeitos: Cook não é conhecido por ser um visionário nos produtos ou para guiar projetos através da rigorosa linha de desenvolvimento da Apple. Para esse tipo de tarefa, o aparente herdeiro de Jobs é o líder dos designers Jonathan Ive, o principal designer responsável pelo iMac, iPod, iPhone, e iPad, entre outros produtos inovadores. Cook também não é conhecido como um orador convincente em público; é mais provável que Jobs (se ele estiver bem o suficiente) ou o chefe de marketing Phil Schiller lidem com keynotes futuras.

O futuro: Cook está na Apple há 13 anos e dado o seu novo papel na empresa, não se espera que ele esteja fazendo planos para sair no futuro. Dito isto, segundo relatos ele foi cortejado pela Motorola e pela Dell, e possivelmente pela HP.

 

Pessoal

Interesses: Cook é um “maluco por fitness”, está na academia às 5 da manha, frequentemente na pista de corrida e com mais frequência na sua bicicleta. O ciclista ávido é um admirador de Lance Armstrong, citando o cara que venceu sete vezes o Tour de France regularmente durante as reuniões da Apple e segundo relatos cortando o cabelo inspirado pelo corte do ciclista. Como Jobs, Cook é um fã de Bob Dylan, e em pelo menos um momento, manteve uma foto do cantor em seu escritório, junto com uma foto de Bobby Kennedy. Sua maior fidelidade, talvez até maior do que com a Apple, é com o time de futebol americano Auburn Tigers, cujas lembranças supostamente decoram sua casa e seu escritório.

Interesses românticos: Depois de Cook ser descrito como um “eterno solteiro” e “intensamente discreto” em alguns lugares, nós começamos a questionar se ele não seria gay. Desde então nós ouvimos de duas fontes seguras que esse é realmente o caso, e aparentemente a orientação sexual de Cook tem sido tópico de algumas discussões dentro da empresa. Um executivo de tecnologia que tem conversado com vários veteranos no gerenciamento da Apple sobre Cook ouviu que os executivos iriam apoiar Cook se ele assumisse publicamente sua orientação, e até mesmo encorajar a fazer isso assim que ele subisse no seu papel de liderança, mas eles também tinham preocupações sobre a saída do armário iria impactar a percepção da marca Apple.

Cook seria, de longe, o executivo assumidamente gay mais poderoso da indústria tecnológica, seguido pela chefa de HR assumidamente lésbica da Microsoft, Lisa Brummel e por Megan Smith, a antiga CEO da PlanetOut e atualmente vice presidente de desenvolvimento de novos negócios do Google.

Pior momento: Cook foi diagnosticado erroneamente com esclerose múltipla em 1996, uma experiência que, segundo suas próprias palavras, fez com que ele “visse o mundo de uma maneira diferente”. Ele agora ajuda a angariar dinheiro para a doença.

Visual característico: Cook faz parte do conselho da Nike, e é por isso que é comum vê-lo com tênis da Nike e calça jeans pelos escritórios da Apple.

[Fotos via Getty]