Usenet: todo mundo já ouviu falar, mas ninguém usa. Isto é ridículo. Não só é uma fantástica maneira de fazer download, como também não é tão difícil de usar. Eis como se livrar do seu vício em torrent de uma vez por todas com Usenet.

O intuito deste guia é fazer com que as pessoas conheçam os básicos do Usenet, mas se você velho barbudo tem alguma dica, truque, conselho ou lembrança de fazer chorar para compartilhar conosco sobre as suas décadas na rede, pode jorrar tudo lá nos comentários. Enfim:

O que é Usenet?

Vou poupá-los da profunda explicação histórica e técnica porque isto os mataria de tédio e não sou de fazer isso: o Usenet existe desde fim da década de 70 com um dos sistemas de quadro de avisos que a primeira geração de verdadeiros nerds costumava usar. Ele foi projetado para ser um fórum de discussões e existia ao longo de toneladas de servidores descentralizados. Em sua maior parte, ele foi substituído pela Internet como a conhecemos hoje, mas ainda está muito vivo, apesar da sua cara diferente.

Veja bem, em algum ponto da década de 80, alguém começou a carregar conteúdo binário – arquivos, não palavras – no Usenet. Isto era, e de certo modo ainda é, um ajuste meio inconveniente, mas rapidamente tornou-se um dos principais usos para o serviço. Por quê? Porque aparentemente ninguém ligava muito para regulá-lo – e ainda não ligam, seja lá o motivo – e porque, meu amigo, era rápido. Estes fatores fizeram dele o refugio perfeito para arquivos de todos os tipos, e agora a quantidade de coisa disponível no Usenet se equipara – e em muitas categorias excede – os melhores torrent trackers, que estão sendo desativados de todo modo.

Por que você o quer?

Esta é fácil: além de servir uma enorme quantidade de conteúdo, o Usenet é geralmente o primeiro local que aparece em downloads populares e, diferentemente dos torrents, quando estão ativados, os downloads imediatamente são feitos a toda velocidade. Falando nisso, é bom repetir: o Usenet é extremamente rápido. A menos que o seu acesso à Internet seja uma bosta, você provavelmente usará o máximo da sua conexão de banda larga. Quando você tiver experimentado este tipo de velocidade, os torrents passam a parecer brincadeira de criança. E, por último, você não precisa oferecer nem carregar nada.

Para os viciados em downloads, o Usenet é uma maravilha. Mas ele tem uma longa reputação de ser um tanto difícil de entrar, então a maioria das pessoas nem chega a tentar. Esta reputação não é lá muito justa, já que o Usenet não é nem um pouco difícil de usar. Eis como começar:

Escolha um serviço Usenet

Houve um tempo em que os provedores de acesso não apenas aceitavam os binários Usenet – eles de fato os hospedavam. Alguns ainda o fazem, mas nestes raros casos geralmente há pesadas restrições de banda, medidas reguladores e todo tipo de conteúdo ausente. Para minerar o ouro do Usenet que você realmente deseja – o conteúdo alt.binaries – você precisa comprar acesso. Ah, sim, foi mal! O Usenet não é um serviço P2P, então você precisa pagar alguém em algum lugar por toda esta banda e armazenagem. A boa notícia é que você consegue por 15 dólares ao mês ter acesso ilimitado e irrestrito. Se você não se sente bem com este gasto, sinta o gostinho com um período gratuito, como o do GigaNews, ou apenas compre um passe único de download, que vale por alguns gigabytes.

Há duas coisinhas a se procurar em um provedor Usenet, mas a maioria dos grandes serviços de boa reputação é mais ou menos igual. Retenção é uma palavra que você verá aos montes: os servidores Usenet, dado o incrível volume de conteúdo que lhes é carregado, precisam sofrer uma limpeza de tanto em tanto tempo, o que significa que os arquivos possuem uma vida útil limitada, e quanto mais tempo eles puderem se manter nos uploads, mais arquivos eles terão. Atualmente, você não deve se contentar com muito menos que uma retenção de 300 dias.

Os provedores também alertam sobre quantas conexões paralelas aos seus servidores eles permitem simultaneamente. Mais = mais veloz, mas além de 10 downloads simultâneos, os números realmente param de significar qualquer coisa, a menos que você esteja usando algum tipo de conexão comercial insanamente veloz, mas neste caso, O QUE RAIOS VOCÊ ESTÁ FAZENDO BAIXANDO ARQUIVOS, HEIN?

Por último, há os limites de download. Isto deve ser mais óbvio, mas só pra garantir: isto representa quanto você pode baixar do seu provedor em um determinado mês. Isto serve para todos vocês, então se você realmente acha que não passará dos 10GB no mês, compre apenas 10GB praquele mês. No entanto, quando você realmente se livrar do seu vício em torrent, você ficará surpreso em saber do que você realmente é capaz.

Eu uso o Astraweb há anos – ele é barato e rápido o suficiente para saturar a minha conexão – então o resto do tutorial assumirá que você escolheu este provedor. Se você optou por outro, a única diferença estará nas configurações do seu servidor, que serão dadas assim que você se registrar. Lembre-se: os servidores Usenet são todos misturados, então independente de qual seja o seu provedor, os downloads disponíveis serão aproximadamente os mesmos, pelo menos enquanto o seu provedor os mantiver.

Selecionando um cliente

Assim como nos torrents, tem umas coisas um bocado estranhas rolando por trás dos panos com o Usenet. Como mencionei antes, acrescentar arquivos binários ao Usenet era tipo uma reflexão posterior, o que significa que o procedimento para baixá-los é relativamente complicado, pelo menos na ponta final. Por exemplo: binários Usenet têm limites de tamanho relativamente baixos, então qualquer conteúdo maiorzinho – filmes, softwares, etc. – precisa ser divididos em lotes de pequenos pedaços. Sabe quando às vezes um torrent vem em uns 40 arquivos .RAR que precisam ser reunidos depois de baixados? É porque veio do Usenet, onde os arquivos não podem passar muito de 20MB. Assim, o seu cliente precisa conseguir lidar com todos estes downloads grupais e, de preferência, uni-los automaticamente para você.

Há um bocado de cliente Usenet por aí, mas a maioria deles ou não suporta o tipo de download de arquivos que desejamos – o seu aplicativo de e-mail provavelmente está dentro desta categoria – ou são do tipo linha de comando, ou custam grana. Já estou farto de gastar dindim por hoje, então indicarei a todos o único cliente binário Usenet gratuito de múltiplas plataformas que eu conheço, e também um que eu tenho usado há um bom tempo: ele se chamam SABnzbd. O resto deste guia se baseará neste aplicativo, mas você pode tentar outras alternativas gratuitas se você quiser. Os usuários de Mac OS talvez prefiram o Hellanzb (versão GUI linkada) e a galera Windows pode tentar o Alt.binz. Mas o SABnzbd é, sem meias palavras, totalmente excelente.

O SABnzbd roda uma interface de web local, então ele terá a mesma cara independente do sistema operacional que você usar. Eis como começar a usá-lo:

 

1) Baixe e instale o cliente (para Windows, é um instalador como qualquer outro aplicativo; para Mac OS, é um .DMG)

2) Abra o cliente. Ele deve abrir uma janela de navegador em uma página estilo painel de controle, claramente rotulada de SABnzbd.

3) Navegue até a página “Config” e clique em “Servers”

4) Insira as configurações do servidor que o seu provedor Usenet o deu após o seu registro (o do Astraweb está na imagem à esquerda)

5) Ainda na página “Config”, clique em “Folders”

6) Selecione para onde você quer que os arquivos baixados vão e onde você quer que os arquivos temporários fiquem antes de se transformarem em downloads completos

7) Selecione uma pasta “Watched”. É assim que o SABnzbd saberá o que você quer que ele baixe. Faça com que seja um local fácil de se gravar a partir de um navegador

E é isso! Agora deixe o SABnzbd rodando e começaremos a explorar o Usenet. Sinta-se à vontade para fuçar pelas outras opções do SABnzbd, como os temais, um dos quais está apresentado na primeira imagem do post, mas siga esta regra geral: se não for totalmente óbvio para você o que uma opção altera, então provavelmente você deve ignorá-la. A única coisa que você talvez tenha que se preocupar com este procedimento de configuração é habilitar uma conexão SSL caso o seu provedor de acesso esteja limitando as suas velocidades de download. Mais sobre isso aqui.

Encontrando os arquivos

Agora que você já tem acesso ao Usenet e as ferramentas corretas para extrair aqueles doces arquivos dele, está na hora de mergulhar. Como o Usenet nu e cru é uma bagunça totalmente incompreensível, eis que entra algo chamado Newzbin, ou padrão NZB. NZBs são mais ou menos como os arquivos de torrent: eles são pequenos indicadores que contêm informações sobre todas aqueles pedaços espalhados de um determinado download e que dão aos clientes como o SABnzbd tudo de que precisam para fazer do download uma tarefa aparentemente tranquila aos usuários. “Explorar o Usenet” significa realmente explorar índices de NZBs e, para fazer isso, você precisa de uma boa engine de busca. A melhor está no Newzbin, feita pelas pessoas que inventaram o formato NZB. Infelizmente, também é algo pago e só entra via convite. Em vez disto, você deve usar uma das alternativas gratuitas decentes, como a NZBs.org, Binsearch ou Newszleech. As buscas precisam de prática, mas quando você saca como as pessoas dão nomes aos bois por estas partes, é tranquilo.

Quando você encontrar o seu NZB, baixe-o para o diretório que você marcou “Watch” no SABnzbd. Você pode também optar por apenas baixá-lo para onde quiser e acrescentá-lo ao SABnzbd na página inicial do programa sob “Add File”. Agora veja a fila de espera do seu SABnzbd, onde você deve ver algo como isto:

Ei, está funcionando! E sim, está realmente indo rápido. Se não estiver baixando, talvez você precise dar uma olhada nas suas configurações de servidor: às vezes os provedores de acesso bloqueiam a porta default, a 119, o que significa que você terá que usar outra que seja suportada pelo seu provedor. 8080 é uma bastante comum, assim como 1818. Veja o passo 4 deste guia para este propósito; alterar a porta leva apenas um segundo.

O SABnzbd cuida de toda a complicada incorporação e extração de arquivos .RAR pra você, então quando o download tiver terminado, a sua pasta de downloads designada deve ter um arquivo prontinho para assistir/ouvir/rodar esperando por você. Refestele-se nele.

Então, Usenet é isso!

Prós e contras

Como você já deve ter adivinhado, há muitas maneiras de tornar o SABnzbd mais potente. Para isto, dê uma olhada no fantástico thread do SomethingAwful iniciado por um dos desenvolvedores do aplicativo, além do SABnzbd wiki, que dá resposta a praticamente qualquer questão de suporte que você possa ter.

Além disso, tem um importante assunto que nem mencionamos aqui, que é como você pode acrescentar coisas ao Usenet. O processo pode ser um tanto complexo, mas poxa, você é virgem no mundo do Usenet – deixe que nós nos preocupemos por enquanto com os uploads. Dito isto, quando você estiver finalmente pronto, eis uma cartilha de como fazer.