A partir de 29 de julho, os celulares com DDD 11 ganham o dígito 9 antes do número. Mas para que isso? E como atualizar a lista dos contatos que moram em São Paulo ou arredores? O Giz Explica.

Celulares com DDD 11 ganham um dígito a mais…

A Anatel decidiu que todos os celulares com DDD 11 vão ganhar um dígito a mais. É simples: basta acrescentar o número 9 na frente do celular. Ou seja, agora você disca 9xxxx-xxxx.

Se você está fora do DDD 11, também precisa discar 9: o número agora fica na forma 0 + código da operadora + 11 + 9xxxx-xxxx.

Vale lembrar que é preciso discar 9 mesmo se for para enviar mensagens de texto. Você está ligando de um telefone fixo? Também tem que discar 9. A mudança é obrigatória e compulsória.

…mas telefones fixos e Nextel não recebem o dígito 9…

Atenção: números de telefone fixo no DDD 11 continuam exatamente os mesmos. Não importa se o número for Vivo Fixo (ex-Telefônica), Claro Fixo (ex-Livre da Embratel), ou de qualquer outra operadora de fixo: ele não será afetado.

Além disso, números Nextel permanecem com oito dígitos: a operadora explica que seus prefixos 79xx, 78xx, 77xx e 70xx no DDD 11 não são afetados, e continuam como estão.

…então fique esperto ao atualizar sua lista de contatos.

Como apenas 14% dos brasileiros usam smartphone, para muitos o dígito 9 vai dar trabalho. Se você tem um dumbphone, fique atento ao que dissemos antes: só celulares com DDD 11 ganham o novo dígito – fixos e Nextel estão de fora.

Se você tem um smartphone, a mudança será bem simples: basta baixar um app e ele cuida disso para você, já levando em conta aquelas exceções. Veja os principais apps para cada plataforma:

Não conhecemos nenhum app do tipo para Windows Phone ou Symbian. Nessas plataformas, pelo visto, a mudança será manual. Seria interessante um programa para Windows/Mac que atualize a agenda exportada do celular, mas também não conhecemos uma solução do tipo.

A transição começa em 29 de julho…

A partir deste domingo, você já pode usar o dígito 9. Como explica o G1, haverá um rápido período de transição: se você não discar o novo dígito, a operadora avisa da mudança e completa a ligação. Mas isso vai durar pouco:

  • até o final de agosto, quem estiver fora do DDD 11 não poderá completar ligações sem usar o dígito 9;
  • e a partir de outubro, o novo dígito se torna obrigatório para todos, inclusive nas ligações locais do DDD 11.

Ou seja, é melhor se preparar desde já.

…e foi a solução mais simples que a Anatel criou.

O DDD 11 é o código da cidade de São Paulo e outros 63 municípios da região metropolitana. Na região já existem 42 milhões de chips em uso ou para venda, o que corresponde a 95% do limite. Com o dígito a mais, é possível criar até 90 milhões de novos números.

Só que antes, os números de celular no DDD 11 estavam acabando. Provisoriamente, a Anatel permitiu a criação de celulares começando em 5, dígito antes reservado para telefones fixos. E a agência considerou possíveis soluções para resolver isto.

Uma delas era criar o DDD 10: ele valeria para São Paulo e região metropolitana, e iria conviver com o DDD 11. Números novos teriam o DDD novo, mas ligações entre os códigos 10 e 11 seriam tarifadas como locais. Isso seria muito confuso e colocaria até cinco dígitos (0xx10) em todo número de celular. Felizmente, a ideia foi deixada de lado, e implementou-se o dígito 9.

[via G1]

Foto por Laura Gilmore/Flickr