Em mais um episódio de Estudos que Jamais Imaginei que Existissem, a morte de um golfinho foi categorizada como o primeiro caso em que um cetáceo morre asfixiado por um polvo.

Espera… o quê!?

Carrapato que causa alergia à carne vermelha pode afetar qualquer pessoa e está se espalhando
Dezoito novas espécies de aranha-pelicano foram descobertas em Madagascar
As dificuldades de efetuar a primeira cirurgia cerebral em um lobo-marinho

É isso mesmo. Um pacífico golfinho-nariz-de-garrafa tentou comer um polvo inteiro e acabou ganhando o título de primeiro cetáceo a morrer de asfixia causada por um polvo, segundo informações da National Geographic.

Nahiid Stephens, patologista na Universidade Murdoch, em Perth, Austrália, e primeira autora do estudo Death by octopus (morte por polvo, em tradução livre), publicado no periódico Marine Mammal Science, explica que o animal tentou comer mais do que podia. “Ele parece ter sido muito ganancioso e pensou ‘Quer saber, vou engolir ele inteiro’”.

Gilligan, como o golfinho é chamado, foi encontrado em uma praia a duas horas de Perth, capital da Austrália, com pedaços de um polvo pendurados em sua boca. Ele foi levado ao laboratório da cientista para a realização de uma autópsia.

O caso trouxe certa estranheza porque, segundo Stephens, Gilligan estava em ótima forma. Mas foi só a patologista começar a retirar o polvo que ela passou a entender o que causou a morte do animal.

Golfinhos, explica Stephens, podem desencaixar a epiglote (uma cartilagem acima da laringe) para engolir grandes pedaços de comida. E Gilligan realmente estava comendo com os olhos, pois achou que poderia engolir um polvo de 1,3 metro de comprimento e cerca de 2 quilos de uma só vez.

A pesquisadora diz ter ficado assustada com o comprimento do animal engolido. “Ele era um polvo realmente enorme, eu continuei a puxar e a puxar e pensava ‘Meu deus, ele não para’”, disse em entrevista a National Geographic.

Ela também explica que, enquanto era engolido, o polvo enrolou um dos tentáculos a laringe de Gilligan, impedindo que ele fechasse a epiglote e o sufocando até a morte.

Tentáculo preso à faringe do golfinho Gilligan. (Créditos: Nahiid Stephens/Marine Mammal Science)

Apesar de este ter sido o primeiro caso de golfinho sufocado até a morte por um polvo a ser registrado, dificilmente este foi o primeiro a acontecer. Stephens diz ainda que apesar de infeliz, a morte de Gilligan é ótima no âmbito cientifico, já que são raras as vezes em que corpos de animais jovens e saudáveis são encontrados – é muito mais comum encontrar animais velhos e doentes, o que significa que o golfinho enforcado representa uma boa oportunidade de estudo.

De qualquer maneira, apesar de ambos os animais terem morrido durante o acontecimento, foi o polvo quem riu por último.

[National Geographic]

Imagem de topo: John Symons/Marine Mammal Science