Não é segredo que o Google coleta toda a sorte de dados relacionados aos usos de seus produtos. Embora a companhia não seja conhecida por ser pró-privacidade, a pressão dos usuários e as legislações recentes de proteção de dados fizeram a companhia se mexer. A partir de agora, por exemplo, a janela de tempo para que o Google apague dados de localização e atividade será padrão para todos usuários.

Esse recurso tinha sido anunciado há um ano, mas mudou a forma que a companhia aplica a iniciativa. Antes, o usuário precisava proativamente definir de quantos em quantos meses suas informações seriam deletadas. A partir de agora, a exclusão automática a cada 18 meses será o padrão nas configurações de atividades para a maioria dos serviços.

De hoje em diante, quando o usuário habilitar o Histórico de Localização, a opção de exclusão automática estará definida para 18 meses. A exclusão automática de Atividades da Web e de Apps também será padronizada para 18 meses para novas contas.

Isso significa que o Google irá continuamente deletar informações que têm 18 meses de idade. Ainda é possível entrar nas configurações do Histórico de Localização e Atividades da Web e de Apps para definir períodos entre 18 e 3 meses, ou desativar a opção.

A medida vale para todos os usuários e não somente quem criar novas contas. O Google afirma ainda que irá lembrar as pessoas de que existe opção de usar o controle de exclusão automática de dados, enviando alertas e e-mails.

O único período de exclusão automática que não entra nessa janela de 18 meses é a do YouTube. A companhia vai manter os registros de vídeos assistidos e outras atividades por 36 meses por padrão, isto em caso de contas novas ou de quem ativar o Histórico do YouTube pela primeira vez. Os usuários que já possuem conta ainda podem escolher pela exclusão automática de 3 ou 18 meses.

O Google lembra a exclusão de informações de atividade não valem para Gmail, Drive e Fotos, já que são apps criados para armazenar o conteúdo pessoal e não são usados para para fins publicitários.

Em um blog post, a companhia também disse que está facilitando o acesso a essas ferramentas de controle de privacidade. O novo aplicativo de Buscas irá oferecer acesso simplificado aos menus “Check-up de privacidade do Google” e “Minha Conta Google está segura?” ao tocar na sua foto do perfil.

O acesso ao modo Anônimo também ficará mais simples: basta apertar e segurar sobre a foto do perfil nos aplicativos de Busca, Mapas e YouTube. A novidade chega primeiro no iOS, mas deve aparecer no Android em breve.

Por fim, a companhia disse que o Check-up de Privacidade terá recomendações pró-ativas e dicas para ajudar você a administrar suas configurações de privacidade.

O Android 11, que ainda não foi lançado, também conta com uma série de novidades específicas para a privacidade. As principais se concentram nas informações que apps de terceiros podem coletar, como a possibilidade de conceder permissões para somente um uso ou revogar essas permissões de tempos em tempos.

Isso não significa que o Google deixará de coletar uma tonelada de informações sobre o uso que você faz dos produtos digitais, mas é um passo que aproxima a empresa do discurso de concorrentes como a Apple.