Recentemente, o Google liberou ferramentas do Workspace para todos os usuários, o que significa que não é mais necessário ter uma conta empresarial para usufruir de quase todos os recursos — incluindo aqueles anunciados no Google I/O 2021. Mais novidades estão a caminho, e uma delas, voltada especificamente para Google Drive e YouTube, merece a sua atenção.

Nesta quarta-feira (23), o Google anunciou que lançará uma atualização de segurança que pode “quebrar” alguns arquivos do Drive. Os links ganharão o que a empresa chama de “chave de recurso”, para tornar os conteúdos mais protegidos e seguros. Por outro lado, isso vai exigir novas solicitações de acesso em algumas situações. Depois que o update for ativado — haverá uma opção para desabilitá-lo manualmente —, só será possível abrir determinados arquivos no Drive mediante um link com uma chave anexada a eles.

“Esta atualização de segurança está sendo aplicada a alguns arquivos no Google Drive para tornar o compartilhamento de links mais seguro. A atualização adicionará uma chave de recurso para compartilhar links. Depois que a atualização for aplicada a um arquivo, os usuários que não visualizaram o arquivo antes terão que usar um URL contendo a chave de recurso para obter acesso, e aqueles que visualizaram o arquivo antes ou têm acesso direto ou não precisarão do recurso para abrir o arquivo”, explica o Google.

A atualização será aplicada a todos os usuários do Workspace a partir de 13 de setembro. Se a sua conta for corporativa, a migração para o novo protocolo de compartilhamento de links vai depender do administrador da empresa, que tem até 23 de julho para aplicar a atualização manualmente. Para os demais usuários, o Google começará a enviar avisos por e-mail a partir de 26 de julho sobre qualquer um dos seus arquivos do Google Drive que possam ser afetados.

Assine a newsletter do Gizmodo

YouTube também entra na jogada

As mudanças também vão afetar o YouTube. Neste caso, os vídeos classificados como “não listados” serão automaticamente colocados como privados na plataforma. A alteração vale para todos os clipes publicados antes de 2017 e entrará em vigor a partir do dia 23 de julho de 2021. “Vídeos privados só podem ser vistos por você e pelas pessoas que você escolher. Uma vez que esses vídeos são feitos privados a partir de 23 de julho, qualquer link usado anteriormente para incorporá-los ou compartilhá-los como Não listados não funcionará mais”, disse.

No caso do YouTube, o prazo final é mesmo no dia 23 do próximo mês. Usuários que não quiserem que o site altere os vídeos colocados como “não listados” para privado pode, então, preencher um formulário solicitando que o Google não aplique as alterações. Mas de novo: isso precisa ser feito até julho deste ano.