Um post no blog do Chromium do Google deixou as coisas bem claras: a gigante de buscas não permitirá nenhum aplicativo de mineração de criptomoedas na loja de extensões do navegador, e os que estão lá atualmente serão retirados em breve.

A Play Store está repleta de apps de mineração de criptomoedas falsos, e eles desenvolveram uma reputação de roubar os usuários que os baixam, coletando dados ou minerando moedas para algum terceiro em segredo. Parece que problemas relacionados com extensões sem consenso chegaram à Chrome Store.

Conforme o post de blog diplomaticamente afirma (ênfase nossa):

Até então, a política da Chrome Web Store permitia extensões de mineração de criptomoedas desde que essa fosse a única função da extensão e que o usuário estivesse adequadamente informado sobre o comportamento da mineração. Infelizmente, cerca de 90% de todas as extensões com scripts de mineração que os desenvolvedores tentaram inserir na Chrome Web Store falharam em cumprir essas políticas e foram rejeitadas ou removidas da loja.

[…]

A partir de hoje, a Chrome Web Store não aceitará mais extensões de mineração de criptomoedas. Extensões existentes que mineram criptomoedas serão retiradas da Chrome Web Store até o final de junho. Extensões que não são voltadas a mineração mas ainda estão ligadas ao blockchain ainda serão permitidas na Web Store.

Apesar de banimentos em publicidade para oferta inicial de moeda e outros produtos relacionados ao blockchain terem sido adotados, até então, por Facebook, LinkedIn, Twitter, Google, Snapchat e, mais recentemente, MailChimp, o Google parece permitir extensões relacionadas ao blockchain desde que elas não sejam voltadas para a mineração. Isso é uma boa notícia para serviços como o MetaMask, que se tornou fundamental para aplicações baseadas na Ethereum.

Mas, é claro, não é só das extensões de mineração que o Google tem se livrado. Foi descoberto que o SafeBrawse, uma extensão de “proteção” ao navegador, estava secretamente minerando Monero sem solicitar o consenso de mais de 140 mil usuários.

De acordo com o Google, qualquer extensão de mineração disponível atualmente na Chrome Store será removida em junho.