Os escândalos recentes com o uso de dados para publicidade ultradirecionada e vazamentos impulsionaram críticas às grandes empresas de tecnologia e agilizou a tramitação de regulamentações como a GDPR, na Europa, e a LGPD, no Brasil. Aos poucos, as companhias têm oferecido maneiras mais simples de ter controle sobre os dados, embora os usuários ainda tenham pouco poder sobre suas informações e boa parte das iniciativas serem apenas protocolos para se cumprir às novas leis.

A última atualização da ferramenta de pesquisa do Google vai nessa direção. A companhia anunciou, nesta quarta-feira (24), que os usuários terão um caminho mais simples para controlar o compartilhamento de dados em todos os aplicativos, começando pela busca.

• O Brasil tem uma lei de proteção de dados. O que muda agora?
• Hora de dar tchau: o Google+ vai ser desativado em agosto de 2019

De acordo com o comunicado oficial da empresa, os usuários poderão revisar e apagar as atividades recentes de busca, acessar os controles de privacidade da conta Google e saber mais sobre como os dados são utilizados em um só lugar. Por meio de um menu na própria página inicial do Google, será possível acessar esses locais:

No caso da busca, esses dados incluem as palavras que você pesquisa, os links nos quais você clica e navega e outras informações – como o local a partir do qual você fez a pesquisa.

Até hoje, quem fazia buscas no Google e queria revisar ou administrar esses dados tinha de acessar a página Conta do Google. A partir de agora, esses controles irão até você e estarão disponíveis diretamente na página de busca. Nela, será possível rever ou apagar dados sobre suas atividades de pesquisa e voltar imediatamente ao assunto que você procurava.

O Google irá facilitar também o acesso às Configurações de Publicidade. Existirá uma opção para controlar as informações que a empresa utiliza para mostrar as propagandas toda vez que você vir um anúncio durante uma pesquisa.

Esses recursos serão liberados hoje para a busca em computadores e smartphones. Os aplicativos do Google para iOS e Android receberão a opção das próximas semanas.

A companhia promete ainda que funções similares estarão disponíveis no Google Maps e em outros produtos no futuro.

[Google]

Imagem do topo: Gizmodo