Mesmo se você for cuidadoso ao escolher como seu e-mail é enviado, é provável que você responda a vários mensagens vindas do Gmail. Por causa disso, o Google pode deter a maior parte de seu e-mail, quer você goste ou não.

Benjamin Mako Hill tem um servidor próprio de e-mail, e resolveu analisar quantas de suas mensagens podem ser acessadas pelo Google. Os resultados são surpreendentes:



Apesar de eu gastar centenas de dólares por ano e horas de trabalho para hospedar o meu próprio servidor de e-mail, o Google tem cerca de metade do meu e-mail pessoal! No ano passado , o Google entregou 57% dos e-mails que eu respondi. Eles entregaram mais de um terço de todo o e-mail que eu respondi todo ano desde 2006, e mais da metade desde 2010. No lado positivo, há alguma indicação de que essa proporção está diminuindo. Este ano, até agora, 51% dos e-mails que eu respondi vieram do Google.

O gráfico abaixo mostra a porcentagem de mensagens vindas do Gmail que foram respondidas por Benjamin, e que passaram pelo Google:

email gmail

Em outras palavras, mesmo que você não use o Gmail ou até mesmo tenha seu próprio servidor de e-mail independente, a maior parte das suas mensagens passa pelo Google.

E isso pode ser preocupante. Em 2012, o então diretor da CIA David Petraeus usou uma conta do Gmail com pseudônimo para se comunicar com sua amante. O FBI investigou os e-mails enviados pela amante, ligou os pontos e descobriu a quem pertencia a conta do Gmail. A conta de Petraeus nunca foi invadida, mas os e-mails que ele enviou já foram o bastante – e ele pediu demissão na época.

Dado que Microsoft, Yahoo e outros constituem boa parte do restante, fica ainda mais claro que seu e-mail está em grande parte nas mãos de empresas de tecnologia – não há muito que você possa fazer. [Copyrighteous via Flowing Data]

Imagem por Cairo sob licença Creative Commons