Andy Rubin, do Google/Android, disse na conferência Google I/O que o Google espera de 18 a 20 telefones com Android este ano, de 8 ou 9 fabricantes — e estes são só os que eles já sabem a respeito. Mas será mais demorada a entrada nos Estados Unidos por causa das builds personalizadas que as operadoras querem.

(Essas builds personalizadas nos assustam, de verdade.)

Mais interessante, talvez, é como elas são classificadas entre os Androids. Há aparentemente três maneiras de um fabricante colocar o Android em seu telefone, com níveis variados de "controle Google" (apesar de todas serem gratuitas). A versão "sem compromisso" pode ser utilizada por qualquer um, mas não vem com Google Apps. A versão "um pouco de compromisso" inclui acordos para distribuir Google Apps, de 12 a 14 deles.

A última versão, conhecida como Google Experience, é como no G1 — você tem os Google Apps e também um acordo tanto com a fabricante quanto com a operadora de que eles não vão restringir em absoluto o acesso ao Android Market. Você identifica estes telefones pelo logo do Google literalmente estampado neles. (Estes são os telefones com Android que você provavelmente vai querer.)

Então, talvez 2009 seja mesmo o ano do Android afinal de contas. Talvez. [NYT