Uma joint venture entre Google e Imax para construir uma linha de câmeras de realidade virtual que vinha sendo trabalhada desde 2016 foi cortada, segundo uma reportagem da Variety nesta segunda-feira (21).

De acordo com o artigo, embora o Google tenha se recusado a comentar o assunto, um porta-voz da Imax disse à revista que a empresa “atualmente pausou o desenvolvimento da câmera de realidade virtual Imax enquanto continuamos a revisar a viabilidade de nosso programa piloto”. A companhia comanda uma série de pilotos arcade de Imax VR, dois dos quais foram desligados recentemente, deixando o futuro de sua empreitada em realidade virtual incerto.

A câmera em questão tinha a intenção de permitir aos cineastas capturar imagens em 3D de 360 graus. Segundo uma fonte ouvida pela pubicação, foi o Google que tomou a decisão de acabar com o projeto “no fim do ano passado, como parte de uma aparente mudança de foco em direção à realidade aumentada”. A Imax, que fabrica câmeras de ponta, tanto digitais como de filme, e o Google, que forneceu uma “solução de costura baseada em nuvem para conteúdo em VR, apelidada de Jump”, tinham 60 pessoas, incluindo terceirizados, envolvidos na empreitada, acrescentou a revista.

A Variety escreveu:

O Google anteriormente fez parceria com a GoPro e com a fabricante chinesa de câmeras Yi no desenvolvimento de câmeras de realidade virtual. O resultado mais recente dessas colaborações foi o Yi Halo, uma câmera VR de US$ 20 mil que captura imagens VR em 3D com a ajuda de 17 câmeras de ação individuais.

A câmera Imax VR foi descrita à Variety como muito mais ambiciosa, capturando uma experiência 3D mais imersiva. Os sinais de que a parceria pode ter terminado primeiro vieram à tona quando a Imax incluiu uma menção a um “pagamento contratual final à Imax relacionado à câmera Imax VR anunciada anteriormente” em seu relatório de lucros mais recente.

Existe uma série de razões pelas quais o Google está enfatizando a realidade aumentada. Mais especificamente, existem muito mais aplicações práticas que poderiam ser lançadas para os milhões de usuários de Android. O foco do Google em realidade aumentada não é novo, embora tenha havido uma certa dificuldade para a empresa e suas concorrentes para transformar seu interesse em monetizar a realidade aumentada em plataformas amplamente usadas.

Como apontou a Variety, o Google seguiu investindo e desenvolvendo tecnologia avançada de câmeras de campo de luz. Portanto, a notícia de que a empresa deixou de trabalhar com a Imax não significa necessariamente o fim de seu interesse em tecnologia de cinema em geral. Entretanto, a Imax diminuiu no ano passado seu interesse  em filmes 3D, e seus centros de realidade virtual aparentemente não conseguiram os números necessários para seguir o investimento neles, então isso é mais uma indicação de que as ambições da empresa em realidade virtual estão, de certa forma, sendo reduzidas.

[Variety]

Imagem do topo: AP