O Google anunciou nesta terça-feira (30) uma série de novidades previstas para o Google Maps em 2021. São mais de 100 atualizações baseadas em tecnologia de inteligência artificial (IA) que visam otimizar a experiência e adicionar um toque de futurismo ao serviço de mapas.

Entre as atualizações, talvez o maior destaque seja o Live View, suporte para mapeamento interno de ambientes que ajuda você a navegar por shoppings, aeroportos e outros espaços fechados. Ele funciona a partir da câmera do smartphone e exibe direções em realidade aumentada para onde ir se localizar. O Google disse que o objetivo do Live View é levar a experiência padrão do Maps para locais internos populares, onde não é tão fácil pegar um sinal de GPS e não há placas de rua ou marcadores de localização visíveis.

GIF: Google

O Live View é baseado na tecnologia de localização global do Google, que usa IA para digitalizar bilhões de fotos do Street View e, em seguida, usa essas informações para apontar sua localização e orientação. O Live View ajuda não apenas a direcioná-lo para onde você precisa ir usando setas e sobreposições, mas também exibe ícones de pontos que podem ser do seu interesse, como caixas eletrônicos, banheiros ou o balcão de check-in ou retirada de bagagem em um aeroporto.

O único requisito de hardware para o Live View é que o smartphone seja compatível com ARKit da Apple ou ARCore do Google, que é algo que a maioria dos aparelhos mais novos já fazem.

Atualmente, o Live View está disponível em alguns shoppings de Westfield, Chicago, Long Island, Los Angeles, Newark, San Francisco e Seattle — todos nos Estados Unidos. Nos próximos meses, o Google disse que o suporte para Live View será adicionado a mais aeroportos, shoppings e centros de trânsito em Tóquio, no Japão, e Zurique, na Suíça, com uma expansão maior para outras cidades chegando no final deste ano.

Maps terá recursos focados em clima e pegada ecológica

Além do mapeamento interno, o Google espera fornecer mais contexto e informações sobre as rotas que você escolhe. Para isso, a empresa está adicionando novas “camadas” de clima e qualidade do ar ao Google Maps. As novas camadas estarão disponíveis como opções extras de Detalhe do Mapa, com a camada de clima fornecendo informações padrão de temperatura e precipitação, enquanto a camada de qualidade do ar fornece dados sobre poluição atmosférica e alertas de alergia. O Google disse que a camada climática estará disponível globalmente e a qualidade do ar será lançada primeiro nos EUA, Austrália e Índia.

Um exemplo de como vão funcionar as camadas de clima no Maps. Imagem: Google

Para pessoas preocupadas com o impacto de suas viagens no meio ambiente, o Google está lançando opções de rotas ecológicas desenvolvidas em colaboração com o National Renewable Energy Lab. No futuro, usuários poderão escolher rotas otimizadas para velocidade ou para congestionamentos ou tráfego que podem, por sua vez, ajudar a reduzir o consumo de combustível, com uma série de opções intermediárias. O próprio Maps vai ativar por padrão a rota com menor probabilidade de emissão de carbono.

Rotas ecológicas vão mostrar locais com menos trânsito e menos emissão de gases poluentes. Imagem: Google

Em partes do mundo onde os governos locais começaram a estabelecer zonas de baixa emissão, o Google também destacará essas áreas ao fornecer informações específicas sobre os tipos de veículos que podem entrar nesses locais, juntamente com quaisquer outras restrições de viagem. Espera-se que os alertas de zonas de baixa emissão comecem a ser lançados em junho na Alemanha, Holanda, França, Espanha e Reino Unido, tanto no Android quanto iOS.

A empresa começará a sugerir uma gama mais ampla de métodos de transporte para suas rotas sugeridas, incluindo o uso de bicicletas individuais ou compartilhadas, transporte público e muito mais. O Google disse que vai priorizar determinados transportes dependendo da cidade em que você está para ajudar a maximizar a eficiência, optando pelo metrô em cidades como Nova York, ou bicicletas, se o Google identificar que essa é uma forma comum de se locomover.

Maps vai facilitar retirada de compras por causa da pandemia

Olhando para o futuro, para ajudar a ajustar a forma como a pandemia mudou a forma como viajamos, o Google também começará a mostrar informações de compras mais detalhadas no Maps para que você possa descobrir opções de entrega, prazos de entrega potenciais, pedidos mínimos e taxas de entrega e muito mais. Nos EUA, o Google já está trabalhando com a Instacart e várias lojas Albertsons, antes de expandir para outros parceiros no futuro.

O Maps vai avisar quando sua encomenda chegar em uma loja física, evitando aglomerações no estabelecimento. Imagem: Google

Além disso, foi lançado um programa piloto com as lojas Fred Meyers em Portland para facilitar a organização e o agendamento de sua compra. Depois de finalizar a transação, é possível inserir suas informações de coleta no Maps e, a partir daí, o Google envia uma notificação quando for hora de sair e compartilhar sua localização com a loja para que seu pedido tenha uma chance maior de estar pronto quando você chegar.

O Google disse que também está planejando alavancar sua inteligência artificial e fotogrametria para criar visualizações 3D mais precisas de rotas que combinam perfeitamente fotos do Street View, imagens de satélite e renderizações alimentadas por IA em um itinerário contínuo de alta qualidade para melhor orientar você em suas viagens.

Independentemente de como você usa o Google Maps, parece que o Google está usando o poder da IA ​​para melhorar suas funções de uma forma ou de outra. Agora é só esperar até que os recursos cheguem na sua cidade, o que deve acontecer ao longo de 2021.