No ano passado, o Google anunciou que qualquer pessoa com um smartphone com Android 7 ou mais recente poderia usar o aparelho como uma chave física de segurança. Agora, essa possibilidade foi estendida aos iPhones.

A iniciativa faz parte do Programa de Proteção Avançada do Google, que foi pensado para ajudar a proteger as contas de pessoas que estão em alto risco de ataques de phishing — especificamente políticos, jornalistas, executivos, ativistas, banqueiros ou qualquer pessoa que tenha uma presença online significativa. Resumindo, é uma boa ideia para qualquer um.

O principal problema é que o programa exige que você tenha chaves de segurança física — que, até recentemente, eram dispositivos separados e autônomos. Isso era uma barreira inconveniente o suficiente para impedir que uma pessoa comum adote o método de verificação em duas etapas com um negócio desses.

É por isso que usar o seu smartphone faz sentido.

Os usuários do Android não precisam fazer nada além de conectar seu celular via Bluetooth, mas há um passo extra para os usuários de iPhone.

Depois de ativar a autenticação de dois fatores, é preciso baixar o aplicativo Smart Lock do Google para ativar uma chave de segurança. A partir daí, você pode visitar o site do Programa de Proteção Avançada para se inscrever.

A autenticação em dois fatores convencional não é o suficiente? Por que se preocupar com mais um passo para acessar suas contas? Bem, ativar a autenticação em dois fatores é melhor do que nada. No entanto, os códigos enviados por SMS ou apps de autenticação não são totalmente seguros.

As chaves físicas não são tão vulneráveis, pois exigem que qualquer pessoa que tente entrar em suas contas esteja muito próxima. Além disso, levar alguns segundos para ter mais segurança é muito menos chato do que ter suas informações roubadas.