Depois de anos, o Google+ está ganhando uma interface nova. A rede social está mais rápida, mais adaptada a dispositivos móveis, e mais focada em dois recursos: Coleções e Comunidades.

As Coleções foram lançadas em maio: trata-se de uma forma de agrupar seus posts por assunto. Isso pode funcionar como o Pinterest, permitindo reunir fotos e vídeos sobre temas que interessem a você; ou pode ser apenas uma forma de organizar tudo o que você publica.



As Comunidades, por sua vez, existem desde 2012 e lembram mais o Facebook do que o Orkut. Os tópicos não são organizados como em um fórum: em vez disso, eles são exibidos um após o outro em um feed.

O Google diz que as Comunidades recebem, em média, 1,2 milhão de cliques no botão “Participar” todo dia. As Coleções estão crescendo ainda mais rápido. Por isso, o Google+ agora se concentra nesses dois recursos.

Além disso, a página da web agora tem design responsivo e consome menos dados, indo de 22.600 KB para um total de apenas 327 KB. (Os desenvolvedores explicam aqui como fizeram isso.) O vídeo abaixo demonstra a rede social carregando no 4G:

No entanto, alguns recursos foram removidos do Google+, como a integração ao Hangouts e a aba Eventos, e não sabemos se eles vão voltar. O diretor de produto Luke Wroblewski diz que “nós definitivamente não terminamos – chegamos até aqui porque ouvimos e aprendemos, e continuaremos fazendo isso”.

Você pode testar o novo Google+ indo em plus.google.com/apps/activities e clicando na barra de Pesquisa. É um macete para quem não quiser esperar até que o redesign chegue para todo mundo. Nos próximos dias, os apps para Android e iOS serão atualizados.

Google Plus e Gizmodo

Fazia mais de dois anos que o Google+ não recebia um redesign. Nesse meio tempo, alguns serviços associados à rede social – como o Hangouts e o Google Fotos – se tornaram independentes; e a empresa deixou de exigir que novos usuários fizessem um perfil por lá.

O YouTube não requer mais uma conta no Google+ para que você possa comentar ou enviar vídeos; e é possível editar seu perfil do Google sem estar inscrito na rede social.

Essa desagregação começou após Vic Gundotra, que capitaneava o Google+ desde seu lançamento em 2011, deixar a empresa no ano passado.

O executivo esteve em um período sabático até este mês: ele foi contratado pela AliveCor, empresa que faz um dispositivo de eletrocardiograma que se conecta a um app para iOS e Android. Gundotra anunciou a novidade, é claro, no Google+.

[Official Google BlogLuke WroblewskiTechCrunch]