Google e Amazon são inimigas de longa data, e grande parte dessa briga está relacionada a sistemas operacionais e compatibilidade. No ano passado, as empresas anunciaram um acordo para que serviços de streaming de ambas estivessem disponíveis no Chromecast e no Fire TV. Uma ótima notícia para os consumidores e que indicava que as companhias poderiam estar finalmente fazendo as pazes.

Mas o Google não parece estar pronto para abandonar essa disputa, adotando uma estratégia bem agressiva para eliminar a concorrência. Segundo o Protocol, a gigante de tecnologia afirma em seu Compromisso de Compatibilidade do Android que os dispositivos com acesso à Play Store devem rodar apenas versões do Android que sejam aprovadas pelo Google. Na prática, isso significa que fabricantes que quiserem utilizar o Android TV não poderão oferecer suporte para o Fire TV da Amazon, que é uma versão modificada do Android porém sem os serviços do Google.

Caso uma empresa viole essas diretrizes, o Google pode retirar a licença de software dessa fabricante em todos os dispositivos que ela produz, incluindo tablets e smartphones. Ou seja, caso companhias decidam oferecer suporte ao Fire TV, elas podem perder o acesso à Play Store e aplicativos do Google nos smartphones também. Considerando que o Android é o sistema operacional mais utilizado no mundo, nenhuma fabricante gostaria de correr esse risco.

Quando questionado pelo The Verge, o Google se limitou a dizer que os dispositivos com Android TV que oferecem os serviços do Google e a Play Store são submetidos a uma avaliação de segurança e compatibilidade para garantir a proteção da segurança e privacidade de dados dos usuários.

Apesar do discurso sobre proteger os usuários, essa restrição imposta pela gigante de buscas tem se mostrado efetiva em minar a concorrência, visto que a taxa de adoção do Fire TV ainda é, de fato, muito baixa. Enquanto isso, o Google anunciou no ano passado que havia firmado acordos com 6 de 10 das maiores fabricantes de smart TVs e 140 operadoras de TV a cabo ao redor do mundo. Nos EUA, esse mercado ainda é dominado pela Roku, cujo sistema operacional está presente em mais de 30% dos dispositivos de TV vendidos no país no primeiro trimestre do ano passado.

Essa não é a primeira vez que o Google vira notícia devido a uma estratégia do tipo para eliminar a concorrência. Em diversos mercados, reguladores já tomaram medidas contra a empresa para impedir acordos semelhantes que visavam a construção de um monopólio do Android em dispositivos móveis. No entanto, ainda não havia conhecimento sobre a mesma prática no setor de smart TVs.

[The Verge, Protocol]