A equipe do Google X – que criou o Glass – tem um projeto para entregar produtos através do ar, levando-os do armazém até seu destino em cerca de dois minutos. Mas este é mais do que um conceito vago, como o Amazon PrimeAir: o Google passou os últimos dois anos trabalhando nisso em segredo.

Alexis Madrigal, do Atlantic, revela o Project Wing, um conceito criado por Sergey Brin que foi concretizado por engenheiros recrutados especificamente para a tarefa. O Google desenvolveu um tipo especial de veículo aéreo não-tripulado: trata-se de um “tailsitter” com alguns ajustes que o tornam específico para entregas.

… um híbrido de avião e helicóptero que decola verticalmente, e então gira para uma posição horizontal e voa para a frente. Para a entrega, ele paira e guincha o pacote até o chão. No final da corda, há um pequeno conjunto de componentes eletrônicos que eles chamam de “ovo”, para detectar que o pacote caiu no chão e se separar dele; a corda então é puxada de volta para dentro do veículo.

O conceito da tailsitter não é novo: é uma aeronave que decola e aterrissa de forma vertical, sempre tocando o solo com a cauda. Quando ela está no ar, ela se inclina horizontalmente para voar adiante. Muitos protótipos tentaram adotar o conceito do tailsitter, mas não tiveram muito sucesso.

O Google, aparentemente, conseguiu realizar isto e ainda criar um guincho que deposita pacotes do céu na sua porta. É uma ideia inovadora, ajudando a evitar uma série de problemas de segurança e logística que um drone teria ao pousar com suas lâminas giratórias. Do Atlantic:

A engenheira mecânica Joanna Cohen, que estudou na Caltech e MIT, projetou o dispositivo. Ele consiste em algumas partes fundamentais. A primeira é o próprio guincho, que desce usando a corda.

A segunda parte é o “ovo”, o pequeno gadget que desce com o pacote, detecta que ele atingiu o chão, libera a entrega, e sinaliza que deve voltar para o drone. Se algo der errado, há um mecanismo de liberação de emergência no topo de linha – “basicamente uma lâmina de barbear”, diz Cohen – que permite ao drone cortar a corda e sair voando.

Os pacotes descem a cerca de 10 m/s. Quando chegam perto do chão, o guincho desacelera a queda para 2 m/s para uma aterragem relativamente suave.

Este é um design impressionante, e parece funcionar em condições ideais. Como você pode ver no vídeo acima, gravado na Austrália, é tão simples que a gente se pergunta como ninguém pensou nisso antes. Mas ele funciona no mundo real?

google project wing

Madrigal diz que os principais engenheiros do projeto acreditam que o Google poderia criar um serviço de entrega por drones. Por enquanto, trata-se de um projeto de pesquisa, e há algumas dificuldades a superar.

Eles ainda não criaram um sistema confiável que os usuários do Google podem usar, mas acreditam que os desafios são superáveis​​. Agora, o Google vai começar a expandir o programa para criar um serviço que vai entregar o que as pessoas querem de forma rápida através de “veículos voadores autônomos” pequenos e rápidos…

Quando a Amazon mostrou seu teaser para o PrimeAir, a ideia parecia exagerada e muito rudimentar. Além disso, a FAA (órgão americano de aviação) ainda vai analisar o uso comercial de drones. Mas o projeto do Google parece mais avançado, e um futuro em que nossos céus estarão cheios de drones de entrega pode estar mais perto do que pensamos.

O Google está buscando parceiros para o Project Wing ao redor do mundo. Se sua empresa estiver interessada, basta preencher este formulário. [The Atlantic]

Imagens por Google