Durante a sessão de perguntas e respostas do Google I/O, os executivos do Google revelaram o detalhe ao responder sobre o modelo de negócio do Google Music.

Para usuários finais, isso significa que albuns e músicas vazadas e música pirata não serão toleradas. E apesar de parecer difícil imaginar como eles irão distinguir o que é pirata ou não, o Google provavelmente usará a mesma tecnologia de análise que eles utilizam no YouTube para verificar se você tem mesmo o direito de subir tal faixa ao Google Music. E isso significa que se você tiver baixado algo não oficial na internet e colocar no Google Music, ele pode ser removido.

Fica a grande dúvida: como o Google fará isso? Talvez por meio de análise espectral e/ou marca d’água, que podem exibir músicas de fontes diferentes, mas não parece ser tão simples assim — e o Google não quis detalhar suas táticas. Não que o Google esteja errado ao fazer isso, mas isso elimina o apelo do Google Music para uma boa parcela de pessoas.