A GoPro é uma câmera de ação fantástica, usada para gravar esportes radicais e algumas proezas difíceis de se acreditar. No ano passado, ela já dominava 30% do mercado de filmadoras digitais, segundo a IDC. E agora, ela está de olho no Brasil.

A GoPro passará a fabricar câmeras no Brasil, o que “permite oferecer aos nossos clientes produtos a preços competitivos”, diz Drew Goldman, diretor de vendas da GoPro para a América Latina, em um comunicado à imprensa.

Para marcar a notícia, a empresa vai oferecer a câmera HERO3+ Black Edition por R$ 1.699 em grandes redes do varejo, incluindo Fast Shop, Fnac, Ponto Frio, algumas lojas do Wal-Mart e outros.

GoPro Hero3+ Black (2)

A Hero 3+ Black grava em resolução Full-HD a até 60 quadros por segundo, e grava em HD a 120 fps, o que permite criar vídeos em câmera lenta. A câmera também chega a resoluções maiores: 2704×1524 (2,7K) a 30 quadros por segundo, e 4K a meros 15 fps.

Ela possui Wi-Fi integrado para você usar um app de smartphone ou o controle remoto incluso para comandá-la; mais dois microfones para redução de ruído; e uma bateria de 1.180 mAh. A Hero 3+ também acompanha um case à prova d’água a até 40 m de profundidade.

A câmera ainda possui alguns recursos de software, como o modo SuperView, que grava vídeo na proporção 4:3 e o adapta para widescreen 16:9 sem cortá-lo – o que funciona muito bem. Há também o modo Auto Low Light, que reduz automaticamente a taxa de quadros quando você estiver em pouca luz. Quanto menor a taxa de quadros, mais luz é capturada pelo sensor.

A Hero 3+ Black foi lançada há um ano nos EUA, onde ela ainda custa US$ 400 (cerca de R$ 1.000). A empresa planeja fabricar no Brasil, em janeiro, a nova linha Hero4 lançada este ano, que inclui a Hero4 Black e os modelos Silver e Hero mais simples (e mais baratos).