Quatro gorilas-das-montanhas morreram após terem sido atingidos por um raio, em uma tragédia peculiar. A espécie está ameaçada: existem pouco mais de mil indivíduos, marca alcançada recentemente.

Os corpos de três fêmeas adultas e um bebê macho foram descobertos no Parque Nacional Mgahinga em Uganda na semana passada. Uma das gorilas estava grávida.

Os quatro corpos apresentavam “lesões graves” que parecem ter sido causadas por eletrocussão. Todos os sinais apontam raios como a causa provável da morte.

O grupo de conservação Greater Virunga Transboundary Collaboration (GVTC) disse que as mortes são “uma grande perda para a espécie”.

“Isso é extremamente triste”, disse à BBC o secretário executivo do GVTC, Andrew Seguya. “O potencial de contribuição das três fêmeas para a população era imenso.”

O GVTC disse que estão sendo realizadas autópsias para confirmar a causa de morte. Os resultados devem sair dentro das próximas três semanas, de acordo com a reportagem da BBC.

Os quatro gorilas-das-montanhas faziam parte de um grupo maior de 17 indivíduos – apelidados de família Hirwa pelas autoridades locais – que originalmente migraram de Ruanda e viviam no parque ugandês desde o ano passado.

A espécie fica confinada em áreas de conservação dentro dos dois países, além de santuários semelhantes na República Democrática do Congo.

Uma pesquisa recente afirmou que a população total de gorilas-das-montanhas na natureza é de 1.063 indivíduos, um número encorajador que indica que os esforços de conservação ajudaram a quase dobrar o número nos últimos dez anos. Um censo de 2008 estimava a população total em 680 gorilas.

Apesar desse sucesso, a espécie ainda está ameaçada. Os principais riscos à sua sobrevivência como a perda de habitat, conflitos entre humanos, armadilhas feitas pelo homem e alterações climáticas ainda representam um sério perigo.

Os gorilas-das-montanhas deixaram de estar em risco de extinção e passaram a ser considerados uma espécie ameaçada recentemente. Somente em 2018 que a União Internacional para a Conservação da Natureza elevou o status da espécie, quando sua população atingiu mil indivíduos.