Esqueça o futebol, a NFL, o UFC, o rúgbi ou qualquer esporte que você considere o mais poderoso do mundo. Em 2016 será dado o primeiro passo para a modalidade que vai misturar os elementos que fazem um bom entretenimento: desejo selvagem por violência, tecnologia, duelo entre nações, sensação de que o ficção científica virou realidade e brincadeira de criança transformada em coisa de adulto. É a guerra de robôs gigantes!

Continue lendo no Extratime.