Todo ano, o mesmo script se repete na Black Friday brasileira: as lojas prometem descontos enormes, mas às vezes só inflam os preços – o velho “tudo pela metade do dobro!” – ou, se a oferta é real, o site não aguenta a demanda e fica instável, ou sai do ar.

Mas escapar da “Black Fraude” não é tão difícil quanto você imagina: basta usar algumas ferramentas antes da compra – que você sempre deveria usar, aliás – para evitar surpresas desagradáveis. Assim, você não vai perder as ofertas de verdade.

Siga estes três passos:

1) Essa oferta é boa mesmo?

Nas últimas edições da Black Friday, algumas lojas aumentaram os preços alguns dias antes, para depois fingir que ofereciam desconto na data. Para evitar essa “maquiagem” de preços, a Camara-e.net (Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico) criou o selo Black Friday Legal, dado às lojas virtuais que assinaram este Código de Ética. Eis alguns trechos:

As ofertas deverão prever regras claras e honestas no tocante ao preço… Os SITES se comprometem a não realizar ofertas falsas… aquelas cujo preço sem desconto anunciado não corresponda com o preço real de tabela praticado pelo SITE ou em outros canais de venda do produto e/ou serviço do Site em questão.

Isto foi criado em parceria com a Busca Descontos, que organiza o site BlackFriday.com.br com 30 parceiros oficiais – entre Americanas, Saraiva, Magazine Luiza, entre outros. No entanto, a lista de participantes que assinaram o código ainda não foi divulgada.

Felizmente, há diversos sites onde você pode conferir se a oferta é boa mesmo:

JáCotei: este é um dos meus favoritos. Ele mostra em um gráfico a variação, nos últimos meses, dos preços mínimo e máximo de cada produto. E como ele só reúne os preços de lojas grandes e estabelecidas, você não verá valores artificialmente baixos de sites questionáveis.

Black Friday - JáCotei

Funciona assim: digite o nome do produto, clique nele e depois vá em “Gráfico de Preços”. Você verá o valor mínimo alcançado nos últimos meses. Se o preço na Black Friday estiver maior, você já sabe que a “oferta” não é boa.

O JáCotei também criou a iniciativa “Light Friday”: em 28 de novembro, os produtos que realmente estiverem com desconto receberão um selo com ícone de lanterna.

Baixou: este é o site que nos ajuda a fazer o Dealzmodo, com as melhores ofertas do fim de semana. Lá, você verá o preço mínimo dos produtos em cada loja, mas não o preço mínimo geral (englobando todas as lojas).

Black Friday - Baixou

No entanto, eles oferecem uma ferramenta para saber se você encontrou o menor preço do mercado: trata-se do Baixou Agora, uma barra que aparece quando você visita sites das lojas.

Black Friday - Baixou Agora

Essa extensão de navegador mostra se você vai pagar barato, ou se há preços melhores em outra loja. Ela está disponível para Chrome, Firefox, Safari e Internet Explorer.

Buscapé: este site oferece um gráfico que acompanha o preço mínimo de um produto durante os últimos 30 dias. Basta procurar o item, clicar nele e depois ir em “Histórico de Preço”. Há uma ressalva aqui: isto reúne o valor cobrado por lojas com avaliação E-bit baixa ou inexistente – e os preços delas são mais suspeitos.

Black Friday - Buscapé

O Buscapé também oferece um plugin para acompanhar preços: trata-se do Buscapé Na Hora, um programa para Windows que exibe um pop-up no canto direito quando você visita uma loja online. Ele exibe os preços do mesmo produto, mas em outras lojas.

Há outros sites que também oferecem um histórico de preços, porém eles são mais limitados. Por exemplo, no Shopping UOL, o gráfico mostra apenas o preço mínimo nas últimas quatro segundas-feiras, e não mostra o valor mínimo atual. É um pouco confuso. Além disso, ele às vezes inclui lojas menos conhecidas, então o preço mínimo pode ser menos confiável.

Por sua vez, o novato Bizoo – que estreou este mês – reúne em um mesmo gráfico a variação de preços em cada loja. Isso pode ser meio confuso, porque você precisa ir clicando no nome das lojas para que seus históricos de preço apareçam. Além disso, ele não tem alguns produtos conhecidos em seu catálogo – como o Nexus 5, por exemplo.

2) Essa loja é confiável?

A oferta pode até valer a pena, mas se a loja não for confiável, você não vai receber o produto – aí não adianta, né. Em quem confiar?

Para descobrir a reputação atual de uma loja, visite o Reclame Aqui ou o Reclamão.com. Não se assuste caso haja muitas reclamações – dependendo do tamanho da loja, isso é esperado. Mas fique de olho no número de reclamações não-atendidas, e em quantas pessoas “voltariam a fazer negócio”.

Black Friday - ReclameAqui

Dê uma olhada também no motivo das reclamações: é atraso na entrega? Problema no reembolso? Isso ajuda a entender melhor a reputação da empresa. E mesmo que você conheça a loja, vale a pena conferir o status dela em reclamações, porque isso pode mudar com o tempo. Às vezes, uma loja confiável passa a dar dores de cabeça alguns meses depois.

Tome um cuidado especial ao clicar em links no seu e-mail, Facebook ou Instagram. Como avisa a Kaspersky, cibercriminosos estão usando a Black Friday para roubar dados e dinheiro:

A maioria dos golpes chega por e-mail, com ofertas mirabolantes como um iPhone 5S por R$ 399 ou uma TV de 47 polegas por 799… As mensagens maliciosas utilizam visual profissional, o mesmo usado pelos varejistas ao comunicar seus lançamentos ou promoções… Os criminosos também têm se preocupado em comprar e usar nos ataques domínios com nomes que parecem legítimos, como: black-monday.net, black-monday.info, walmart1blacknight.com, shoptimeblacknight.com etc.

Por isso, fique de olho no link da compra para garantir que você está em um site confiável. E como recomenda Thiago Claro, coordenador do Centro Universitário Senac, desconfie de sites que exigem pagamento por depósito em conta bancária – “procure sites com sistemas de pagamento seguro e criptografia de dados”. Veja na barra de endereços do navegador se o “https://” está presente, que aparece caso o ambiente seja seguro.

Exemplos de ofertas falsas da Black Friday, reunidos pela Kaspersky
Exemplos de ofertas falsas da Black Friday, reunidas pela Kaspersky. Cuidado com elas!

A Kaspersky também recomenda, sempre que possível, fazer suas compras com cartão de crédito: se você acabar comprando um produto fraudulento, terá mais chances de obter o seu dinheiro de volta.

Por fim, dê uma olhada na lista do Procon-SP com as lojas online que você deve evitar. Ela inclui empresas que não respondem às reclamações de consumidores, nem a notificações do Procon. O Buscapé também reúne lojas não-recomendadas, “com práticas comerciais não-confiáveis”; a lista completa está aqui.

3) Você conseguiu fazer a compra com sucesso?

Muita gente ainda acha que, na Black Friday, as lojas têm estoques enormes para oferecer uma quantidade ilimitada de produtos a preços muito baixos. Não é o caso: por isso, as ofertas costumam esgotar bem rápido – e você precisa ser rápido também. Sim, os sites costumam ficar congestionados, e efetuar uma compra dá trabalho. Por isso, você precisa ter paciência e insistir, até conseguir fechar o pedido.

E se o preço mudar durante a compra? Essa prática é indevida, mas o Procon-SP diz que você pode se proteger fazendo capturas de tela (printscreen) e registrando sua reclamação na empresa. Assim, você poderá ter direito ao cumprimento da oferta – a loja precisa responder em até cinco dias.

Durante o processo de compra, guarde capturas de tela sempre que possível: no Windows 8, pressione as teclas Windows + PrtSc; no OS X, use Command+Shift+3; em outros sistemas, pressione a tela PrintScreen e depois cole a imagem em algum programa de imagens (como o Paint).

Conseguiu fazer a compra? Salve tudo o que possa comprová-la, incluindo “oferta, pedido, comprovante de pagamento, contrato e anúncios publicitários”. Se a loja estourar o prazo prometido, “você pode cancelar a compra ou trocar a mercadoria”, segundo o Procon-SP. Registrar sua queixa no Reclame Aqui ou Reclamão.com também ajuda. E caso você se arrependa da compra, pode cancelar o pedido em até sete dias; a empresa tem que estornar 100% do valor, incluindo frete.

Essas são as três dicas: ver se a oferta vale a pena; ver se a loja é confiável; e agir rápido. Fique esperto e aproveite a Black Friday – sempre tem alguma oferta que vale a pena aproveitar.

Nós teremos um Dealzmodo especial para a Black Friday, então fique ligado!

Foto por Shutterstock/Nata-Lia