Nos anos que precederam a sua saída, Steve Jobs esteve trabalhando obsessivamente no seu projeto pessoal dentro da empresa: o Macintosh. O Apple II, projetado principalmente por Steve Wozniak e lançado em 1977, havia sido muito lucrativo, mas os sistemas subsequentes, como o Lisa, que era grande e custava US$ 10.000, não foram tão bem sucedidos.

Com a sua equipe do Macintosh, Jobs queria criar uma máquina que seria um triunfo não apenas para a empresa, mas para si próprio. Ele instaurou na equipe um senso de criatividade e rebeldia — dizem que ele pendurou uma bandeira pirata no seu escritório (que ficava em um prédio diferente do resto da empresa), explicando que era melhor se tornar um pirata do que se juntar à Marinha. Ele foi se tornando cada vez mais antagônico aos outros grupos da Apple, contribuindo para o atrito que acabaria fazendo com que ele deixasse a empresa.



O famoso comercial 1984 do Superbowl causou muita expectativa para o Mac, e apesar dele ter sido bem recebido, as vendas logo caíram. Jobs começou a entrar em conflito abertamente com John Sculley, o CEO que o próprio Jobs havia atraído da Pepsi para a sua empresa poucos anos antes, e em maio daquele ano, Sculley retirou de Jobs os seus afazeres de gerenciamento. Jobs passou quatro meses tentando decidir sua próxima ação, e em setembro de 1985 ele saiu da Apple Computer.

A tal próxima ação acabou sendo a NeXT Inc, fundada com a intenção de fornecer computadores poderosos para propósitos de ensino superior, negócios e pesquisa. Mas as suas caras máquinas nunca decolaram em vendas, e depois de uma década de inovações significativas estragadas por fracassos comerciais, Jobs convenceu a Apple a comprar a NeXT em 1996.

O fim de 1996 e início de 1997 foram os piores períodos financeiros registrados da Apple, e o quadro de diretores demitiu o CEO Gil Amelio. Jobs concordou em assumir o comando em caráter provisório enquanto procuracvam por um novo CEO, e na Macworld Boston, naquele mês de agosto, ele subiu ao palco para anunciar uma nova e inesperada parceria com a Microsoft.

Apesar de ter vendido as suas ações no início daquele ano, Jobs trabalhou incansavelmente para traçar um novo caminho para a empresa, e em 16 de setembro de 1997, a Apple oficialmente anunciou que ele serviria como CEO provisório. Exatamente doze anos depois da sua saída, Jobs estava de volta à empresa que havia fundado. [WiredAll About Steve JobsWikipedia]