Lembra-se daquele colega que identificou um bug no Facebook e postou uma mensagem no mural de Mark Zuckerberg? O Facebook se recusou a dar qualquer recompensa para Khalil Shreateh, o hacker em questão, mas a comunidade não vai deixar o rapaz ficar sem dinheiro no banco. Após iniciar uma campanha de arrecadamento de fundos no GoFundMe, o pesquisador de segurança Marc Maiffret coletou mais de US$ 10.000 em doações para Shreateh – mais de 20 vezes mais do que os US$ 500 pedidos ao Facebook.

Tudo começou quando o hacker palestino postou o que deve ter sido o aviso mais gentil já feito ao Facebook, que normalmente garantiriam US$ 500 a ele pelo programa de caça a bugs do Facebook por ter descoberto uma vulnerabilidade de segurança. No entanto, houve um problema: ele postou sobre o erro invadindo o mural de Zuckerberg – e, aparentemente Zuck já tem todos os amigos que precisa. Então ele afirmou que Shreateh violou os termos do Facebook ao “explorar falhas para atacar usuários reais”, e o Facebook recusou dar a recompensa a ele.



Foi aí que Maiffret entrou em ação. Ele começou sua carreira de pesquisador de segurança ao expor falhas de softwares de empresas de tecnologia, então simpatizou com a iniciativa do nobre rapaz. Ele era um pouco mais malicioso em seus objetivos do que Shreateh parece ser, no entanto. Aos 17 anos, sua casa foi invadida pelo FBI – e ele tinha feito tanta coisa ilegal que não sabia exatamente qual era o crime. Como explicou ao Bloomberg Businessweek:

Eu hackeei tudo, de sistemas governamentais à Microsoft, e foram três bons anos de hacking. Hoje em dia há um fascínio muito maior, e se você se envolve com hacking e pesquisa, pode escolher entre dois caminhos a seguir.

Atualmente ele usa seus poderes para o bem, e as empresas, em maior parte, têm sido mais sensatas. O Facebook já pagou mais de US$ 1 milhão para white hat hackers por ajudarem a expor várias falhas e bugs que de outra forma passariam despercebidos.

E é por isso que, quando o Facebook não manteve sua promessa, Mainfrett quis garantir que o hacker que fez a coisa certa ganhasse o que merecia. Felizmente para Shreateh, muitos outros também pensam assim. [Bloomberg Businessweek]