Um número desconhecido de hackers invadiu o banco de dados da Universidade da Califórnia em Berkeley e conseguiu acesso a informações pessoais e médicas de mais de 160 mil estudantes e ex-estudantes. Eles ainda estão à solta.

O alvo do ataque aparentemente era a valiosa coleção de números de seguridade social (mais ou menos equivalente ao nosso CPF), sendo que aproximadamente 97 mil deles foram roubados. Estas identidades podem ser usadas para acessar contas bancárias, solicitar cartões de crédito e até mesmo imprimir outras vias de carteiras de motorista. A invasão original ocorreu há um mês, entre 6 e 9 de abril, e a universidade só conseguiu alertar seus estudantes (e os ex-estudantes; os arquivos acessados datam de até 1999) sobre a infiltração no dia 21 de abril.

O FBI e outras forças policiais foram notificadas e estão investigando o crime, mas não sabemos sobre nenhum indício por enquanto. A invasão só foi descoberta graças a uma espécie de "assinatura" deixada por um dos hackers, então talvez eles sejam espertos demais para terem deixado um rastro que pudesse ser seguido. Vamos só esperar que eles sejam mais burros do que aparentam. A universidade montou um site (aqui) para atualizar o público sobre outras informações conforme elas vão chegando. [AP]