O BlackBerry 10 ficou dois anos em desenvolvimento e é visto como a última cartada da BlackBerry (antiga RIM) para se recuperar em um mercado em que já teve muito mais participação. O sistema operacional demorou para chegar e isso pode ser um grande problema para ele. Mas não podemos negar que o trabalho feito pela canadense foi excelente. O BB10 é incrivelmente simples e você não vai demorar muito para dominar alguns dos seus macetes.

O Z10 não tem botões. Quer dizer, ele tem os tradicionais botões de controle de volume no lado direito do aparelho e um para ligar, desligar e ativar o smartphone na parte de cima dele (ao lado da entrada de fone de ouvido). Mas navegar pelo BB10 não exige nenhum botão. É tudo por gestos.

SONY DSC

A partir da tela de bloqueio, deslize o dedo de baixo para cima para revelar a home do BB10. Você pode deslizar apenas até a metade da tela, por exemplo, e ver rapidamente a última coisa que fazia no aparelho antes da tela desligar. E também puxar uma outra tela de cima para baixo que desativa todas as notificações e sons e mostra apenas um relógio com a possibilidade de ativar ou desativar o alarme – é a tela desenvolvida para o momento em que você se desliga completamente do mundo e quer apenas dormir sem que nada mais incomode.

Os apps aparecem em grade como no Android e no iOS – aqui não tem nenhuma novidade. Mas ao deslizar o dedo para a direita surgem as novidades do BB10. Há uma tela de multitarefa que mostra os quatro últimos apps abertos. Eles estão divididos em duas colunas e duas fileiras e você pode ver a interface deles com a última coisa que mexeu. Aperte qualquer um deles para abrir em tela cheia. Deslize o dedo de baixo para cima para voltar à tela de multitarefa.

SONY DSC

A tela mais à esquerda é o BlackBerry Hub, uma central com todas as mensagens do seu smartphone. Ele concentra, em ordem cronológica, tudo o que você faz. Ele tem informações do calendário, e-mail, mensagens recebidas em redes sociais, SMS, BBM ou o que for. Você pode filtrar para ver só o que aconteceu em um determinado app – deixar para aparecer somente as últimas mensagens de texto que recebeu, por exemplo. O Hub não é uma central de notificações. Ele não mostra quando você é marcado em uma foto no Facebook, mas permite receber e enviar mensagens para seus amigos na rede social sem precisar abrir o app.

SONY DSC

A câmera do BB10 tem alguns pequenos truques também. Para conseguir a melhor foto possível, ela captura várias imagens em sequência. Esse recurso já tem em outros smartphones – os da Samsung, por exemplo – mas funciona de um jeito diferente no BB10. Ele sempre tira várias fotos, e, quando reconhece uma pessoa na imagem, permite que você escolha a melhor foto que esta pessoa específica saiu. Funciona assim: em uma foto em que três pessoas aparecem, você pode colocar a melhor cara que cada uma dessas três pessoas saíram e definir isso separadamente para cada uma delas.

No pouco tempo que fiquei com o Z10 em mãos, ele me pareceu excelente. Mas ao mesmo tempo ele pode ter chegado tarde demais. O sistema é simples, não exige muito tempo para aprender a mexer e é uma excelente escolha para quem gosta de BlackBerry. Mas, para quem usa Android e iOS, ele não apresenta muita coisa que faça alguém considerar mudar de sistema operacional.

SONY DSC

O lançamento do BB10 na América Latina começa no mês que vem. Dia 12 de março, ele chega às lojas da Venezuela – um mercado em que os BlackBerry são extremamente populares. Depois, a canadense pretende lançá-lo em um novo país por semana. Não há data exata para o Brasil – a previsão é o primeiro semestre, apenas.

Já o Q10, o BlackBerry 10 com teclado físico, deve chegar por aqui pouco depois do Z10 e provavelmente ambos estarão na mesma faixa de preço. Vale lembrar que este modelo ainda não está disponível em nenhum lugar – ele será lançado em abril lá fora.