Quando um atraso no lançamento do Galaxy S8 deixou um buraco no Mobile World Congress no ano passado, era claro que a Samsung não iria cometer o mesmo engano novamente. Então, aqui estão os novos Galaxy S9 e S9+, apresentados um dia antes do início do congresso de tecnologias móveis de Barcelona.

Numa primeira olhada, a aparência do S9 pode sugerir que não teve tanta mudança. Embora a Samsung diga que a tela do S9 é um pouco mais brilhante e suas bordas são menores, você ainda tem a mesma tela widescreen Amoled com proporção 18:9 que já vimos em seu antecessor. Até as dimensões são praticamente as mesmas, com o S9 equipado com uma tela de 5,8 polegadas, enquanto o S9+ vem com uma tela de 6,2 polegadas.

• Tudo sobre a MWC 2018

Lógico que, na parte de trás, as coisas estão bem diferentes agora. A Samsung colocou o sensor de biometria logo abaixo da câmera traseira, em vez de deixá-la no lado direito, como era anteriormente. E embora o S9+ tenha um sistema de câmera dupla na traseira que é bem bom, nós já vimos isso no Galaxy Note 8 lançado no ano passado. Não vou mentir, mas esperava mais, porém considerando que o Galaxy S8 já era um baita telefone, é difícil ficar desapontado.

Se você prestar atenção na câmera traseira do S9+, dá para notar as diferentes aberturas do sensor

Agora o que é animador está dentro do telefone. Antes de continuar, por favor, me perdoe pelo tecniquês, mas aqui é necessário. Isso ocorre porque, além de contar com novos alto-falantes stereo (o que é uma novidade para a linha de aparelhos topo de linha), muitos dos avanços da Samsung envolvem alguns detalhes sofisticados e seu primeiro sistema de dupla abertura.

A abertura é literalmente o buraco pelo qual a luz viaja até o sensor da câmera. Quanto menor o número, maior o buraco e mais luz entra. A ideia é que ao deixar a câmera alternar entre f/2.4 e f/1.5 (a maior abertura disponível no mercado de smartphone até o momento), o S9 deveria produzir fotos melhores tanto em condições claras como escuras. E quando você combina um novo sensor de 12 megapixels super rápido, a Samsung diz que o S9 captura 60% mais luz que seu antecessor. A empresa diz ter melhorado o sistema de processamento de imagem, que agora junta três conjuntos de quatro fotos em uma única imagem, com mais detalhes e menos ruído do que uma imagem composta apenas por uma única foto.

Este não é o único truque da câmera. Com um novo sensor de imagem com memória dedicada, o S9 pode agora gravar vídeos em slow motion em 960 fps (quadros por segundo) com intervalos de 0,2 segundo. E não se preocupe se você perder algum momento que rolou em um quinto de segundo, pois o sistema da Samsung detecta automaticamente a ação e dispara a câmera para garantir que vai sair tudo certo. Vai ser interessante ver como isso funciona fora do ambiente controlado de demonstração da empresa.

Super slow motion em ação. Raul Marrero/Gizmodo

A assistente Bixby também tem vantagens atreladas às melhorias de câmera com um série de novos recursos baseados em sua análise de imagem. Agora, o S9 pode fazer coisas como “olhar” um alimento e dizer a estimativa de calorias ou permitir que você teste diferentes tipos de maquiagem da Sephora ao apontar a câmera de selfie para seu rosto e ir escolhendo as cores.

Mas talvez o melhor recurso da Bixby seja seu mecanismo de tradução em tempo real. Em vez de inserir caracteres em um app ou tirar uma foto de uma placa, tudo que você precisa é apontar a câmera para palavras estrangeiras e ele vai automaticamente traduzir.

E, como você poderia esperar, o S9 não é nada humilde em suas especificações. Ele tem o novo chip da Qualcomm, o Snapdragon 845 (no Brasil, se mantida a tradição, será a linha Exynos), com 4 GB de RAM (o S9+ tem 6 GB), 64 GB de armazenamento e possibilidade de aumentar com um cartão microSD. E, diferente da Motorola, HTC, Google e Apple, que tiraram a entrada de fone de ouvido de 3,5 mm, a Samsung a manteve.

Olha a entrada de fone de ouvido aí

Agora vem a perfumaria do anúncio. Após a Apple lançar o Animoji no iPhone X no ano passado, você provavelmente já imaginava que a Samsung não ia deixar barato. Mas em vez de usar sua face para animar um bicho (o que o S9 também faz), a Samsung fez algo parecido com o Bitmoji com seu novo AR Emoji.

Tudo que você precisa é tirar uma selfie, e em alguns segundos, sua foto vai ser transformada em um avatar digital completo, aí você pode configurar a cor de pele, cabelo, óculos e até as roupas. Então, você pode salvar em uma galeria e enviar uma versão sua para quem quiser pelas redes sociais — por ora, é compatível com Facebook Messenger e WhatsApp.

O AR Emoji consegue reagir à sua face, então se você piscar, ele capta suas expressões. Dito isso, eu acho que a melhor parte disso é a habilidade de colocar olhos arregalados nas captações que faz. É ok, é um artifício e só um pouco divertido, mas acho que em um mundo após o filme Emoji, é o retrato da sociedade que vivemos.

Já estava me esquecendo de citar o novo sistema inteligente de segurança do S9, que “copia” o FaceID, mas avança, pois usa o rosto e a íris dos olhos para desbloquear o telefone. Mas com tudo isso, é claro que o S9 representa o que a Samsung tem de melhor de tecnologia e colocou tudo em seu aparelho topo de linha. E com o rápido acesso que tive ao dispositivo, o S9 parece ser um ótimo competidor para o iPhone X.

A Samsung ainda não anunciou o preço em seus diferentes mercados. Por ora, sabemos que nos Estados Unidos o S9 será vendido na operadora AT&T por US$ 790, 20 e o S9+ por US$ 915. A pré-venda nos EUA começa em 2 de março, e os aparelhos devem estar nas lojas em 16 de março — data marcada para recebimento para os consumidores que adquirirem o smartphone na pré-venda.

Foto do topo: Sam Rutherford/Gizmodo