Nós gostamos bastante do HTC One X, e tivemos um breve encontro com o One X+. Gostamos ainda mais do novo aparelho: por fora, ele parece essencialmente igual – mesma tela linda, mesma construção sólida – mas por dentro, ele ficou ainda melhor.

O HTC One X+ será um dos primeiros smartphones com Nvidia Tegra 3 quad-core de 1,7GHz (esta nova versão tem 4G LTE integrado). Por sua vez, a versão americana do já lançado One X usa um Snapdragon S4 dual-core. Mal podemos esperar para ver a diferença de velocidade entre os dois.

O One X+ aumenta a bateria de 1800mAh para 2100mAh, mas a operadora AT&T alega que ele terá uma duração de bateria 50% maior, em média: disseram-nos que isso se deve ao quinto núcleo do Tegra 3, que economiza energia. Isso seria ótimo, já que a duração da bateria é uma das piores coisas no One X.

Esta foi também a primeira vez que vimos a interface HTC Sense+ em cima do Jelly Bean (Android 4.1). Boa notícia: à primeira vista, ele é ainda menos ofensivo do que o Sense no Ice Cream Sandwich. Tudo funcionou de forma rápida e suave, como era de se esperar: o Google Now apareceu instantaneamente, por exemplo. E enquanto outras fabricantes colocam mais e mais firulas, a HTC reduziu seu skin ainda mais, removendo um monte de animações – o que faz a experiência parecer mais rápida. A HTC também renovou o aplicativo da câmera, que já era bom, para torná-lo ainda mais intuitivo.

Tivemos apenas alguns minutos com o One X+, mas ele nos deixou extremamente ansiosos para usá-lo em um teste completo. Ele chega semana que vem aos EUA, na operadora AT&T, onde você poderá comprá-lo – no Brasil, é claro, ele não será lançado oficialmente.