No mundo dos utensílios de cozinha, existe uma variedade facas finas e que nunca perdem o fio, as facas de cerâmica. A Kyocera, que já se aventurou na telefonia brasileira, é craque no assunto e faz alguns modelos em cor preta, muito parecidas, até em termos de espessura, com o novo notebook da Samsung, o NP900X3A, ou o primeiro filho da família Series 9. Mas a empresa jura de pé juntos que ele não é de cerâmica, e sim de outro material bem diferente. Confira nossas impressões.

É praticamente impossível não chamar o notebook de concorrente direto dos novos MacBook Airs, da Apple. Fino, leve, portátil, mesmo tamanho de tela, SSD para armazenamento e boot rápido são algumas das características similares. Mas o interessante por aqui é que a disputa será boa.

Mesmo preso aos insuportáveis cabos anti-ladrões, segurar o Series 9 na mão é uma ótima para se passar por fortão para os transeuntes. Para um notebook de 13,3 polegadas, 1,3 quilo é um valor bem incomum. A mágica acontece com o uso de uma material chamado duralumínio, usado em aeronaves e automóveis, que consegue ser leve e resistente ao mesmo tempo.

A semelhança com facas fica ainda maior quando você fecha o Series 9 e o vê lateralmente. Assim como o MacBook Air, ele afina no extremo e parece realmente uma lâmina de 16,3 milímetros de espessura. Nenhum jornalista teve coragem de descobrir se o laptop seria capaz de cortar um dedo fora, mas tudo indica que seu filho poderá usar a máquina sem problemas. A Samsung afirma que ele é o notebook mais fino do mundo — e nos números ele realmente é, com 0,7 milímetros a menos de espessura do que o MacBook Air — mas na comparação lado a lado eles ficam bem parecidos, como mostra a foto do Laptop Mag:

A Samsung ganhou alguns pontos na parte externa por fazer um teclado e um  largo touchpad mais do que decentes, com boa resposta, espaço e teclas bonitas. Porém, mesmo com todo o cuidado, o MacBook Air de 13 polegadas ganha a corrida por uma crina de cavalo de diferença por causa de seu touchpad — mais sensível do que namorada assistindo “(500) Dias com Ela”.

Os dois lados de uma ótima configuração

Então quer dizer que mesmo sendo uma máquina extremamente bonita, fina e prática de carregar, o Series 9 da Samsung não vence o MacBook Air? Se você for do tipo que gosta de números e configurações de babar, eis o trunfo dos coreanos: enquanto o aparelho da Apple vive na era jurássica dos Core 2 Duo, a Samsung colocou um processador Core i5 2537M. Há ainda 4GB de memória RAM e um SSD de 128GB, que deixa a máquina pilhada o tempo todo: ela voa tanto na hora de ligar, quanto na hora de acordar e trabalhar.

O único problema é que ninguém faz um aparelho com material de aeronaves, processador moderno e SSD sem assustar o usuário nas etiquetas. Eis o maior problema do Series 9: ele chegará ao Brasil custando cerca de R$5.000, ou 10% mais caro do que o modelo básico do MacBook Air de 13 polegadas. Mais um estranho momento em nossas vidas onde um aparelho da Apple é mais barato do que seu concorrente.

A máquina chega ao Brasil em maio e até lá você, que cogita comprar um notebook levinho, pode ir colocando os detalhes na balança: uma versão prateada da maçã com Mac OS X, mais barata mas com processador antigo, ou um notebook negro, tão leve quanto, com Core i5 e por mais algumas prestações. No fim do dia, tudo depende de seu uso. E nós ficamos mais do que felizes em vermos concorrência de alto nível.

O Gizmodo Brasil viajou ao Samsung Forum 2011, no Chile, a convite da Samsung