O iPad2 é magrelo e bonitinho. O Galaxy Tab 10.1 é magrelo e bonitinho. O Toshiba Thrive é…gordinho e belo? Com certeza é mais volumoso. Mas ele impressiona tanto pelas funcionalidades quanto pela aparência avantajada? Nós fizemos o teste.

O Thrive não tenta ser o iPad, o Galaxy mais fino, ou qualquer um dos incontáveis (e em sua maioria, genéricos) tablets Android. Ele não tenta ser bonito. Ele não tenta ser brilhante. Ele não tenta te impressionar com bizarrices. Ao invés disso, ele é meio comum. A textura emborrachada na traseira foi uma boa escolha de design, e talvez agradável aos olhos de alguns, mas fora isso, é um pedaço bem grosso e preto de bacon sabor Android (mas se você não curte muito preto, carcaças coloridas estão disponíveis para ele). Se espessura ou delicadeza são fatores importantes para você, ele provavelmente irá revirar o seu estômago. Mas, surpreendentemente, ele não parece tão pesado. Seja ele de materiais melhores (ou mais baratos, apesar dele não parecer nem um pouco frágil), o Thrive passa uma sensação diferente do que ele aparenta à primeira vista. E isso é algo bom.

Em relação às suas entranhas, ele tem bastante coisas legais: Tegra 2, 1GB de RAM, e um montão de entradas. HDMI, USB tamanho padrão, e um leitor de cartão que suporta SD, SDHC e SDXC. Não é exatamente comum! A Toshiba está investindo na conectividade do Thrive para superar seus concorrentes mais sexies.

Mas ele tem mais do que apenas portas. A Tela de 10.1 polegadas, 1280×800 é altamente responsiva (diferente de alguns displays Android realmente lixosos que eu tive a infelicidade de manusear), e é vívida, embora seja uma vítima fácil de brilho. Toshiba evitou colocar skins malucas (SIM, MUITO OBRIGADO) para ter um Honeycomb 3.1 puro e mais veloz, o que é bom para nós – e o desempenho foi bacana. Sem frescuras. Entretanto – respire fundo –, sim, eles colocaram um app próprio estilo gerenciador de arquivos do Windows, que curiosamente traça a direção oposta da qual a Apple está indo. Mas se você curte a ideia de armazenar bastantes arquivos, um gerenciador das antigas baseado em pastas pode ser algo que você procure. Ou pode te dar nojo.

E a câmera (2MP frontal, 5MP traseira)! Surpreendentemente não é abominável, quando se trata de fotos. Muito bem! E uma bateria removível? Bem legal!

Se você não quer um tablet elegante, esbelto e glamoroso, você pode gostar do Thrive. Ele não está tentando ser o iPad. Não tem vergonha de suas gordurinhas. E pelo que vimos hoje, ele tem algumas boas razões para ter auto-estima.

Música: Clams Casino – Realest Alive