por Daniel Junqueira

Hideo Kojima saiu ou não da Konami? Uma reportagem da The New Yorker diz que sim e relata até uma festa de despedida feita para o criador de Metal Gear Solid. A Konami segue negando que seu principal designer tenha deixado a empresa.

Segundo Simon Parkin, na The New Yorker, no dia 9 de outubro de 2015, Hideo Kojima trabalhou pela última vez na Konami. A data foi marcada inclusive por uma festa de despedida para o designer, que contou com a presença de colegas de Kojima de diversos estúdios internos da Konami. Quem não esteve na comemoração foi o presidente da Konami, Hideki Hayakawa, e o CEO da empresa, Sadaaki Kaneyoshi. No geral, a festa foi uma despedida “alegre e também emocional” para Kojima.

Ainda segundo a The New Yorker, Kojima tem um acordo com a Konami e não pode voltar a trabalhar antes de dezembro – portanto, os próximos passos do designer só devem ser conhecidos mais para o fim do ano, ou talvez só em 2016.

Mas a Konami não confirma essa história. Desde que surgiram os rumores da saída de Kojima a empresa vem apenas negando a separação. Ao Tokyo Sports, representantes da Konami disseram que o designer está apenas de férias e ainda consta como funcionário da empresa.

Parkin defende a história publicada na New Yorker e hoje pela manhã postou até uma foto que seria da tal festa de despedida. Não há como ter certeza de que de fato ela foi tirada na data da suposta festa, e, mesmo que seja, não há nada nela que indique que de fato era a saída de Kojima. Podia ser só um “até logo”.

Outra possibilidade é que Kojima tenha contrato até dezembro com a Konami e saiu de férias até que ele se encerre – nesse caso, a Konami está certa em dizer que ele ainda está nos quadros de funcionários da empresa, mesmo que seja apenas por mais algumas semanas.

Mas se Kojima, de fato ,estiver apenas de férias e seguir na Konami, ele deve encontrar alguns desafios bem grandes pela frente – talvez ainda maiores do que finalizar uma história que começou a ser contada há 28 anos. Isso porque a Konami vai investir cada vez mais em jogos mobile deixando as produções para consoles de lado. Para um diretor como Kojima, que gosta de super-produções com fortes influências cinematográficas e que não tem vergonha nenhuma de interromper o gameplay para colocar na tela uma conversa de 15 minutos, os limites da tela de um smartphone e do baixo orçamento dos jogos mobile não deve ser algo fácil de se adaptar.

Esperávamos que a essa altura do jogo as coisas já estivessem devidamente explicadas – se Kojima realmente ia deixar a Konami após o lançamento de Metal Gear Solid V, era esperado que isso fosse divulgado ao público. Mas não foi, e seguimos com informações desencontradas. [Kotaku, The New Yorker]