Este foi o meu café da manhã de ontem. Os 3 ovos, acreditem, fazem parte da parcela light da dieta de Tim Ferriss, o nosso hacker de corpos favorito, que recomenda: coma loucamente, o máximo que você aguentar, em dias específicos. Emagrece. É o que eu vou fazer hoje. A lógica:Qualquer dieta de emagrecimento, por definição, consiste em consumir menos calorias que o normal. Comendo menos, o corpo queima reservas de gordura para gerar energia, grosseiramente falando. Acontece que se você ficar só na saladinha ou shakes, comendo mil calorias a menos do que o normal, seu corpo ficará de certa maneira acostumado a funcionar com menos energia.O que pode acontecer é que no médio prazo a dieta fica menos efetiva. Seu metabolismo – a quantidade de energia que você gera e gasta sem fazer esforço – fica mais lento. A dieta “slow carb” de Tim Ferris, uma variação de métodos baseados em proteína e gordura (ele basicamente proíbe açúcar de qualquer tipo, incluindo frutas e qualquer forma de carboidrato), representada no meu café, prevê um dia de “folga” por semana. O objetivo não é que você se divirta lembrando de como é o gosto de chocolate: comer como um ogro ajuda a emagrecer, pela sua lógica. Vamos chegar lá.O conselho e a dieta foram extraídos do último livro de Tim Ferriss, 4-hour body, que tem o genial subtítulo, traduzido, de “um guia não-convencional para perder gordura rapidamente, fazer sexo incrível e virar super-humano”, lançado há poucas semanas. Comecei a ler o livro de 592 páginas – e imediatamente seguir os conselhos – na semana passada, pouco antes de publicarmos este post. então hoje é a minha primeira folga.O raciocínio de Ferriss é que o dia liberado serve para lembrar o seu organismo que você ainda pode comer um bocado. A súbita entrada de açúcares, gordura e carboidrato vão fazer com que a tireóide trabalhe loucamente para produção de T4 e T3 (especialmente a conversão do primeiro no último) que são os hormônios responsáveis pela quebra da gordura e funcionamento das mitocôndrias. Mensageiros intracelulares como cAMP e GMP também são superproduzidos nesse período de comilança extra e, poupando vocês dos detalhes, isso é bom para o funcionamento do organismo e consumo e não-absorção de porcarias. O resultado do bizarro método é que em 48 horas após o dia de folga seu corpo está de volta ao normal – talvez com menos gordura até.É claro que para a mágica acontecer plenamente, há alguns truques. “O objetivo é conseguir que a maior parte da porcaria que comemos ou vá para tecido muscular ou saia do corpo sem ser absorvida”, ensina Ferriss. Para que isso aconteça, é importante focar em três princípios:1. Minimizar a produção de insulina, um hormônio de armazenamento – Há algumas maneiras de fazer isso, como com alguns suplementos naturais (óleo de alho ou ácido linoleico), ou bebendo suco de uva e suco de limão em diversas formas.2. Aumentar a velocidade que a comida sai do estômago – A ideia é fazer a comida, literalmente, passar reto (ou direto pelo reto, haha). Ferriss recomenda café, erva-marte e chá-verde, que ainda têm teobromina e teofilina. Na minha própria experiência com hiperdosagem de cafeína (para fins científicos), posso assegurar que a velocidade que minhas refeições apareciam no banheiro era incrivelmente maior. O autor de 4-hour body, que é meio nerd em termos fisiológicos, se deu o trabalho de pesar as suas fezes para provar que uma enorme parte do que ele consumia castigava a porcelana (como já ouvi em Recife) quase que totalmente.3. Fazer breves contrações musculares durante a folga – A proteína transportadora de glicose GLUT4, aparece na superfície do tecido muscular quando você faz algum tipo de exercício. Ela, na prática, abre os portões dos músculos para que os chocotones e chesters sejam transportados diretamente para o muque, e não para o tecido adiposo. Como estimular a GLUT4? Ferriss recomenda ir discretamente ao banheiro alguns minutos antes de comer bastante e se concentrar em 60 a 90 segundos de exercícios leves. O preferido dele é o air squat (que imagino que possa ser traduzido como agachamento). Assim:



É importante lembrar que pra cair na esbórnia você já deve estar em dieta há alguns dias. Então, começar pela comilança não me parece um bom caminho. Há alguns detalhes e dezenas de explicações científicas para os métodos de Ferriss, que tem alguns resultados surpreendentes (meu favorito: como desenvolver um fator de cura mutante). Tudo pode ser encontrado no livro, que recomendamos com fé, mas ainda não pode ser encontrado facilmente aqui (usuários de Kindle, inclusive nos smartphones com Android ou iOS, aproveitem). Acho que farei um relatório no Twitter sobre a loucura gástrica hoje.A para vocês todos, ótimo natal![Imagem do post por icebox79deluxe, via Flickr]