Lembra aquela época em que a HP não queria mais ser empresa de PCs? Ela está pagando por isso até hoje: a empresa fez uma baixa contábil de US$8,8 bilhões em seus ativos, devido a uma grave fraude na empresa de software que a HP comprou por US$ 11 bilhões. Ouch.

Isso significa que a empresa comprada tem um valor US$8,8 bilhões menor do que a HP achava. Mas como eles erraram tanto nessa aquisição?



Em agosto de 2011, a HP comprou a empresa de software Autonomy por US$ 11,1 bilhões, tornando-o um dos maiores ativos da HP. Sabíamos na época que isso provavelmente era um erro, mas o negócio acabou sendo pior do que poderíamos ter imaginado.

Hoje, a HP disse que a Autonomy adulterou as finanças antes de ser adquirida, por isso a empresa terá que descontar US$ 8,8 bilhões dos ativos para compensar isso.

Foi mesmo fraude?

O fundador da Autonomy, Mike Lynch, saiu da HP em abril, meses após a aquisição. Lynch nega as acusações de fraude, e ainda diz que a HP está cobrindo suas próprias trapalhadas com essa baixa contábil:

Isso [a suposta fraude] seria uma coisa tão grande e óbvia, com 300 pessoas e várias empresas fazendo due dilligence – como ninguém iria detectar uma fraude? (…)

Houve uma série de má decisões da gestão. Eles [HP] perderam centenas de pessoas talentosas da Autonomy. Toda a equipe de gestão basicamente largou a empresa. Infelizmente, eles pagaram por toda a destruição de valor causada pela HP. Agora eles [HP] estão tentando encobrir isto com uma grande baixa contábil.

Quem é o responsável?

O homem que arquitetou essa compra desastrosa de empresa é o ex-CEO Léo Apotheker. Como ele deixou uma aquisição desse porte passar sem a devida diligência? Não sabemos. Ele só diz uma coisa: não é culpa dele.

Apotheker divulgou um comunicado para o Wall Street Journal dizendo que o processo de due diligence foi “meticuloso e exaustivo”, e disse que “continua a acreditar no potencial de mercado da Autonomy” – afinal, a contabilidade pode ter mentido, mas a engenharia do software ainda funciona.

Ele ainda sugere que a Autonomy conseguiu enganar a HP desde o ano passado:

…é evidente que as supostas deturpações da Autonomy na contabilidade enganaram diversas pessoas ao longo do tempo – não só líderes da HP, como auditores e diretores. Na verdade, as supostas impropriedades aparentemente vieram à tona apenas depois que uma denúncia interna levantou a questão na primavera, bem depois da minha partida.

Resultados fracos

Além de toda essa crise, a HP teve resultados fracos: as principais áreas de atuação sofreram queda na receita. Na área de PCs, a queda foi de 14% contra o ano passado. Impressoras? Queda de 5%. Nem mesmo em servidores a HP teve sorte: queda de 9% em um ano.

Ironicamente, o único negócio que está crescendo é… software: a pequena divisão teve aumento de 9% na receita.

No trimestre, a empresa teve prejuízo de US$6,8 bilhões. Descontando a baixa contábil da Autonomy e outros itens não-recorrentes, esse resultado vira um lucro de US$2,3 bilhões.

As ações da HP caem quase 12% hoje. [HP, WSJ, WSJ e Business Insider]