A HTC é uma das primeiras empresas de tecnologia a revelar seu resultado financeiro no segundo trimestre. Infelizmente, mais uma vez, as notícias não são boas.

Em comparação ao ano passado, o lucro despencou 83%, chegando a US$ 41,6 milhões. O HTC One, apesar de ser um Android incrível, pelo visto não conseguiu impressionar.

No primeiro trimestre, o principal smartphone da empresa sofreu com atrasos. No segundo trimestre, o HTC One vendeu 5 milhões de unidades em 50 dias. Só que ele precisou lidar com um concorrente de peso: o Galaxy S4. A Samsung diz que distribuiu 20 milhões de unidades do seu flagship em apenas 68 dias.

Em junho, as vendas da HTC caíram muito rápido, depois de um bom mês de vendas. Isso é um mau presságio: a empresa não tem grandes produtos novos para lançar, enquanto a concorrência deve revelar novos smartphones.

No terceiro trimestre, esperamos ver o novo iPhone, além dos outros modelos da linha Galaxy S4 – Active, Mini, Zoom etc. – chegarem ao mercado. O bem-sucedido Galaxy Note também deve ganhar uma nova versão.

Além disso, a aposta da HTC em um Facebook Phone – o First – não ajudou a alavancar as vendas. A AT&T, operadora que vendia o First com exclusividade, reduziu seu preço de 99 dólares para 99 centavos (em contrato de dois anos). Rumores dizem que as vendas do aparelho foram fracas; ele não está mais disponível.

A HTC está se mexendo para se salvar. Ela vai apostar mais forte no marketing do One; no entanto, isso vai impactar o lucro durante todo o ano. E ela (supostamente) prepara um modelo mid-end, o One Mini, com com tela HD de 4,3 polegadas e boas especificações; mas ele deve chegar em agosto, pouco antes das novidades da Samsung e Apple.

Mesmo assim, a HTC continua em apuros, e cinco altos executivos saíram da empresa. É um momento difícil para a empresa, mas torcemos que ela consiga se recuperar – mesmo que ela tenha deixado o Brasil. Afinal, os produtos da HTC são bons, e queremos mais concorrência em smartphones. [Reuters via Engadget; The Verge]