O mercado de fones de ouvido totalmente sem fio está em crescimento. Num primeiro momento, tínhamos apenas o AirPods, da Apple, e opções da Samsung (primeiro os Gear IconX e depois os Galaxy Buds). Depois veio a Xiaomi com os baratos e acessíveis AirDots. Neste ano, a Huawei, que não teve um 2019 muito fácil, resolveu trazer os FreeBuds 3 para o mercado brasileiro, para concorrer justamente com as opções da Apple e da Samsung no Brasil.

Usá-los foi uma experiência interessante, até porque mexi muito pouco em fones de ouvido wireless nos últimos anos. De antemão, é possível dizer que os FreeBuds 3 são uma ótima opção, mas você deve entender os prós e contras de ter um portátil desses.

Huawei FreeBuds 3

Huawei FreeBuds 3
Fones sem fio da Huawei com sistema de cancelamento de ruído.

Preço
R$ 1.200 (sugerido), mas você encontra no varejo por R$ 850.

Gostei
Qualidade do som, case discreto, opção na cor preta e cancelamento de ruído em ambientes controlados.

Não gostei
Pouca autonomia (por volta de 4 horas) e não tem app para iOS.

Tirando os FreeBuds 3 da caixa

Os FreeBuds 3 vêm em um case redondo com bateria de 400 mAh, o que dá umas quatro cargas dos fones. Para carregá-lo, há uma porta USB-C (na caixa vem um cabo USB-C – USB-A) e um LED, que fica verde quando ainda há carga no case – e vermelho quando a carga está baixa ou quase nula.

Tem ainda um botão super discreto no lado direito que deve ser pressionado, caso você queria facilitar que os FreeBuds 3 sejam encontrados pelo dispositivo que quiser parear.

Os fones em si são um pouco mais compridos que os AirPods convencionais e contam com três buracos, sendo um principal e outros dois de mesmo tamanho, que ficam em contato direto com o canal auricular.

Huawei Freebuds 3

Para poder parear os FreeBuds 3 com o seu telefone, é necessário ativar o Bluetooth do seu aparelho e deixar o case aberto. Isso fará com que ele fique no modo de busca de dispositivos. Aí, basta ir aos ajustes ou configurações de Bluetooth do seu aparelho e escolher os FreeBuds 3.

Se não der certo, no case tem um pequeno botão que ativa o modo descoberta dos fones de ouvido — no iPhone, por exemplo, eu só consegui parear os fones depois de pressioná-lo. No Android, bastou abrir o case (estojo).

Já é possível ouvir música dessa forma, porém não dá para aproveitar muito bem o gadget, pois a única informação que você terá desse modo é o nível de bateria (que aparece junto ao ícone de Bluetooth do seu smartphone) em aparelhos Android.

Para ter dados detalhados sobre a carga do case e dos fones, além de ter melhores controles sobre cancelamento de ruído, só baixando o app AI Life, da Huawei, que está disponível para Android. Para iOS, eu não achei um app oficial, mas também não consegui fazer configurações e descobrir o nível de bateria quando conectado a um iPhone.


Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Ears-on

Ao colocá-los no ouvido, ele faz um pequeno barulhinho, mostrando que há uma espécie de sensor que detecta que ele está em contato com o canal auricular. Isso, segundo a Huawei, ajuda a captar melhor a voz enquanto se está em uma chamada telefônica.

Aliás, fazer chamadas com eles é bem confortável. Não é necessário gritar: só falar normalmente, inclusive mesmo falando baixo, o microfone dos FreeBuds 3 capta tranquilamente a voz.

Sobre o cancelamento de ruído, devemos dar o crédito à Huawei por ter sido pioneira em implementar esta tecnologia em fones tão pequenos. Mas, é bom? Funciona direito?

Olha, devo confessar que minhas expectativas eram altas, pois nos últimos anos testei alguns headphones bem bons com esta funcionalidade. No entanto, com o tempo, deu para entender que os FreeBuds 3 na verdade fazem um sistema de cancelamento de ruído, mas não tão intenso — até porque, se eles tivessem um desempenho parecido com o de fones concha grandes, seria uma vergonha para os fabricantes dos fones convencionais.

FreeBuds 3
Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Voltando ao assunto, o cancelamento de ruído dos fones da Huawei funcionam bem em escritório (ou em casa, que é de onde estou trabalhando há pelo menos um mês). Usando eles em casa, ele bloqueou barulho de parentes e o latido de cachorro. Numa ocasião que precisei sair, ele “cancelou” o ruído de um tênis meu velho, que fazia um “nhéc” a cada pisada, porém não deu para competir com o ônibus que passava na avenida.

Trocando em miúdos, em ambientes controlados, os fones executam muito bem o recurso de cancelamento de ruído. Em áreas externas, eles não conseguem isolar completamente o usuário, o que pode ser bom, já que você pode ser atropelado, né?

Durante o uso, o acessório recebeu pelo menos umas três atualizações. Geralmente, eram sobre estabilidade da conexão dos fones com o smartphone e de funcionalidades. Com o tempo, por exemplo, descobri que dar um duplo toque no fone direito, avançava para a próxima música. Já um duplo toque no no fone esquerdo ativava ou desativava o cancelamento de ruído. Se você quiser é possível personalizar estes comandos por meio do app AI Life.

Huawei AI Life
Interface do app AI Life, nele é possível ajustar o nível de cancelamento de ruído, configurar atalhos e checar nível de bateria do estojo e dos fones. Crédito: Captura de tela

Ok, mas para quais situações os FreeBuds 3 são recomendados? Olha, se você trabalha em um escritório e às vezes têm problemas para se concentrar, eles devem segurar bem as pontas. Os fones também são ótimos para se ouvir durante uma caminhada, seja durante seu trajeto até o ponto de ônibus ou para não ficar sedentário. Agora, se você quiser correr, talvez não seja a melhor opção.

Huawei Freebuds 3
Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Nas poucas vezes que tentei, não deu muito certo. Apesar de encaixar bem nos ouvidos, o impacto da corrida fazia sempre com que um dos fones (geralmente o esquerdo) caísse. Talvez, se eles tivessem pontas de silicone ajudaria a melhorar o encaixe no canal auricular.

Na pior das hipóteses, você pode começar caminhando e, quando for correr, segurar o fone em cada uma das mãos para evitar que eles pulem direto para o bueiro mais próximo.

Sobre a autonomia, com o uso de cancelamento de ruído, os FreeBuds 3 aguentaram umas 3,5 horas seguidas de reprodução de música, o que está próximo do estimado pela marca, que são 4 horas. Costuma ser o suficiente para fazer chamadas ou para o trajeto de ida ou volta do trabalho, mas ainda não é um fone para se usar o dia todo.

A qualidade do som é satisfatória, com um volume bem alto e com bastante detalhes, mas não espere ouvir o pigarro do maestro durante a ópera. É mais do que o suficiente para ouvir música por aí ou fazer chamadas. Se você for sommelier de áudio, é óbvio que opções com fio são melhores, mas também não são tão práticas.

Conclusão

O pulo do gato dos FreeBuds 3 é a portabilidade. É bem bacana encaixá-los na orelha e sair por aí. O máximo que você tem que fazer é carregar o estojo dele, que cabe tranquilamente no bolso de sua bermuda ou calça. Fazer chamadas de voz ou vídeo, então, é sensacional, pois são discretos e você precisa falar de forma natural para ser compreendido. As desvantagens é que se você tem um iPhone, ele funciona, mas de forma limitada, sem fornecer informações detalhadas da autonomia.

Como os AirPods, a opção da Huawei é cara e premium. Os FreeBuds 3 são encontrados em varejistas por cerca de R$ 900, enquanto os Galaxy Buds+, da Samsung, que prometem maior autonomia e não têm cancelamento de ruído, são achados por R$ 835. Já os AirPods Pro, da Apple, são achados na loja da maçã por R$ 2.249.

Huawei Freebuds 3
Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Esta é uma categoria nova de produtos e, vamos combinar, um item de “lifestyle”. Se você tem dinheiro e disposição, andar por aí com esses fones, ele pode ser muito bom. Agora, se você quiser tentar um primeiro modelo neste ramo, tem várias opções baratas — Xiaomi, Philco e Philips são algumas das fabricantes mais acessíveis.

Se você quiser se arriscar no mundo dos fones de cancelamento de ruído, você consegue achar fácil modelos tipo concha muito bons com preço na casa dos R$ 800, só que eles são grandes e, obviamente, não cabem literalmente no seu bolso.