A primeira demonstração do sistema operacional próprio da Huawei pode acontecer nesta semana, de acordo com uma reportagem do veículo estatal chinês Global Times. Batizado de Hongmeng OS, a companhia deve anunciá-lo durante uma conferência para desenvolvedores que acontecerá no dia 9 de agosto, em Dongguan, na China.

O Hongmeng OS aparentemente é o sistema que a Huawei vem desenvolvendo desde 2012, depois que os Estados Unidos realizaram uma investigação sobre eles e sobre a ZTE.



O sistema foi projetado para rodar em dispositivos de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês), mas deve fazer sua estreia em Smart TVs da linha Honor, conforme aponta uma reportagem da Reuters. Ainda segundo a agência de notícias, executivos da empresa minimizaram publicamente a possibilidade do Hongmeng OS equipar smartphones.

Durante o evento que anunciou as receitas da Huawei na primeira metade de 2019, o presidente da companhia, Liang Hua, disse que eles preferem utilizar o Android para os seus celulares e se referiu ao Hongmeng OS como parte de uma “estratégia de longo prazo”. Em outras oportunidades, executivos disseram que o sistema próprio não substituiria o Android.

Apesar disso, a reportagem do Global Times diz que deve ser lançado um smartphone com o sistema operacional próprio da Huawei, que está em fase de testes. O aparelho, segundo essa reportagem, deve ser anunciado junto com o Mate 30 Pro no final deste ano. O celular deve ser de gama média, com preço esperado de cerca de US$ 290 (aproximadamente R$ 1.150, em conversão direta).

A possibilidade de a Huawei utilizar um sistema operacional próprio em smartphones começou a ser ventilada após as restrições impostas pelos Estados Unidos em maio, quando Donald Trump incluiu a empresa em uma “lista de entidades”, na qual figuram companhias que supostamente representam um risco à segurança nacional do país.

Pouco depois do anúncio da restrição, o Google anunciou que ofereceria suporte e atualizações de segurança até 19 de agosto. Essa era a data limite imposta pelos EUA. A novela continuou e, em junho, Donald Trump chegou a sugerir que empresas americanas poderiam vender produtos para a Huawei, mas não foi bem isso o que aconteceu.

Em um dos últimos episódios, o secretário de comércio dos EUA, Wilbur Ross, esclareceu que embora a Huawei permaneça na Lista de Entidades, seu departamento vai expedir licenças comerciais para empresas desde que “não haja uma ameaça à segurança nacional dos EUA”. Ainda não está claro se o Google poderá continuar licenciando o uso do Android com a Play Store e seus aplicativos.

O Hongmeng OS tem sido desenvolvido em torno de um microkernel para que “possa funcionar melhor com a inteligência artificial e rodar em múltiplas plataformas”.