Parece que sempre que eu tusso hoje em dia, isso desencadeia um mini ataque de pânico que imediatamente tento suprimir com uma grande quantidade de chá de camomila. Felizmente, pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) descobriram uma maneira de avaliar se uma pessoa tem COVID-19 apenas pelo som da sua tosse, de modo que em breve poderei tranquilizar o meu hipocondríaco interior.

A ferramenta usa redes neurais que podem detectar mudanças sutis na tosse de uma pessoa que indicam se ela está infectada, mesmo que não tenha nenhum outro sintoma. Pessoas assintomáticas infectadas com COVID-19 são um vetor do vírus particularmente difícil de controlar, já que é menos provável que elas sejam testadas — afinal, por que fazer um exame se você está se sentindo bem, certo? Assim, os portadores podem infectar outras pessoas mesmo sem perceber.

Mas mesmo os assintomáticos têm uma pista que mostra que estão infectados, descobriram os pesquisadores do MIT. Está tudo na tosse.

A diferença entre a tosse de uma pessoa saudável e a tosse de alguém infectado com o vírus é tão pequena que é imperceptível ao ouvido humano. Portanto, a equipe desenvolveu uma IA para detectar essas diferenças mínimas usando dezenas de milhares de amostras registradas de tosses e palavras faladas. E ela tem sido surpreendentemente precisa nos testes iniciais, reconhecendo 98,5% das tosses de pessoas com casos confirmados de COVID-19 e 100% das tosses de pessoas assintomáticas.

Funciona da seguinte forma: uma rede neural mede sons associados à força das cordas vocais, enquanto outra detecta pistas relacionadas ao estado emocional de uma pessoa, como frustração, que pode produzir um “efeito plano”. Uma terceira rede detecta mudanças sutis no desempenho pulmonar e respiratório. A equipe então combinou os três modelos e os submeteu a um algoritmo para detectar degradação muscular.

Os médicos sabem há anos que a tosse de um paciente pode revelar pistas importantes sobre sua saúde. Mesmo antes dos tempos de pandemia (lembra dessa época?), grupos de pesquisa treinavam inteligências artificiais para detectar outras doenças como pneumonia e asma apenas pelo som.

A pesquisa tem seus limites, no entanto. Os cientistas do MIT alertaram que, mesmo com o nível de precisão alcançado até agora, as pessoas não deveriam usar esta IA como um substituto para o teste de COVID-19. Eles também afirmaram que ela não foi construída para diagnosticar pessoas que estão exibindo ativamente os sintomas do covid-19.

No entanto, a tecnologia ainda pode desempenhar um papel vital como ferramenta de triagem para o vírus. A equipe está desenvolvendo um aplicativo gratuito “amigável” que pode ser usado como uma ferramenta conveniente de pré-triagem para indivíduos que não apresentam sintomas, mas temem estar infectados.

Pesquisadores da Carnegie Mellon University têm trabalhado em um aplicativo semelhante chamado COVID Voice Detector (detector de voz para COVID, em tradução livre) que, como o nome indica, seria capaz de determinar se alguém tem COVID-19 apenas pelo som de sua voz. Em breve, você só precisará tossir ou falar ao telefone para saber se é seguro sair para se encontrar com pessoas. Ou, talvez, nem isso:

“A pandemia pode ser uma coisa do passado se as ferramentas de pré-triagem estiverem sempre ativas em segundo plano e constantemente aprimoradas”, escreveram os pesquisadores, sugerindo uma espécie de Minority Report (filme de ficção científica de 2002) biológico que, sem dúvida, seria um pesadelo de privacidade.

Aí eu não gostei. Eu não teria problemas em tossir em meu telefone para realizar o teste, mas eu já tenho ansiedade suficiente sem a polícia da saúde me rodeando como aqueles caras com trajes amarelos do filme Monstros S.A. sempre que eu tossir.