Em pleno domingo (28), a IBM anunciou que está negociando a compra da Red Hat, a maior fornecedora de soluções de software open-source. O negócio deve custar cerca de US$ 34 bilhões para os cofres da gigante da tecnologia.

Segundo o comunicado de fusão, a IBM pagará US$ 190 em dinheiro para comprar todas as ações da Red Hat, que fecharam em US$ 116,68 na última sexta-feira, antes de o acordo ser anunciado.

• Microsoft anuncia compra do GitHub por US$ 7,5 bilhões
• IBM desenvolve inteligência artificial capaz de debater em alto nível com seres humanos

A Red Hat fará parte da divisão Hybrid Cloud da IBM. A companhia tem trabalhado para não ficar para trás em relação a Amazon e Microsoft em termos de infraestrutura de negócios para a nuvem. O CEO da Red Hat, Jim Whitehurst, irá se juntar ao time sênior de gerenciamento da IBM.

Como aponta a CNBC, a aquisição é a maior da história da IBM e a terceira maior da história dos Estados Unidos, considerando apenas empresas de tecnologia. Em 2016, a Dell e EMC se fundiram num acordo de US$ 67 bilhões; em 2000 a DS Uniphase adquiriu a fornecedora de componentes ópticos SDL por US$ 41 bilhões.

A Red Hat foi fundada há 25 anos e iniciou como uma distribuidora de uma versão do Linux. Atualmente, a companhia é conhecida pelo Red Hat Enterprise Linux e outras tecnologias utilizadas em data centers. A empresa tem tido bons resultados nos últimos anos: sua receita cresceu 21% entre 2017 e 2018. O lucro do ano fiscal foi de US$ 259 milhões, com receitas de US$ 2.92 bilhões.

A negociação entre IBM e Red Hat já foi aprovada pelas diretorias de ambas as empresas. É preciso ainda que acionistas da Red Hat concordem com o negócio. Depois, será vez das aprovações pelas agências de regulamentação. A expectativa é que a compra seja concluída na metade final de 2019.

Siga o Gizmodo Brasil no Instagram

[CNBC, IBM]

Imagem do topo: Wikimedia