No último comercial do iPhone a Apple exaltou a função “Não Perturbe”, novidade surgida no iOS 6 que permite programar o sistema para que ele não incomode o usuário durante o sono sagrado. É uma coisa tecnicamente simples, mas que faz uma diferença enorme — quem nunca acordou no meio da noite com uma notificação de spam que passou pelo filtro do email, ou de um check-in no Foursquare?

Eu já. Não é muito legal.

O Android não oferece recurso semelhante, embora existam formas de alcançar essa graça no sistema do Google. Quem roda CyanogenMod tem nas configurações de som do próprio Android o Quiet Mode, que faz exatamente o que o Não Perturbe do iOS 6 faz. Apps mais robustos, que usam gatilhos e ações para automatizar o comportamento do sistema, também tornam isso possível. Puxando alguns rapidamente da memória, tem o Tasker, o Locale e o excelente Smart Actions — esse infelizmente restrito aos smartphones da Motorola.

O problema é que esses apps são overkill, relativamente caros e, no caso do Tasker, um pouco complicado de configurar. Existe solução mais simples? Sim, existe sim. Apresento a vocês o I’m Sleeping.

O I’m Sleeping já existia antes de a Apple anunciar o iOS 6 e, com ele, o Não Perturbe. Mas depois que a turma do iPhone ganhou essa funcionalidade, seu autor, o suíço David Gerber, fez algumas mudanças para aproximá-lo ao da experiência do lado da maçã. Não cheguei a conhecer as versões antigas, mas essa nova simplesmente… funciona.

A configuração é simples como seria de se esperar, e virtualmente idêntica à do recurso nativo do iPhone. Você deixa o app no automático (se não, qual a sua utilidade?), define a hora que ele começará a surtir efeito e a que ele cessará (ou a hora que você não quer mais ser importunado e quando deve voltar à vida real), com a opção de horários alternativos para o fim de semana; e, embaixo, se alguém insistente, que ligue duas vezes para você no meio da madrugada, poderá ser ouvido na segunda chamada — é bom que seja importante! Uma sutil diferença para o recurso do iPhone está na lista branca: no smartphone da Apple ela é populada pelos contatos favoritos, no Android, é criada manualmente.

Não é um app espetacular, longe disso. Ele é bem simples, mas funciona como se espera, é gratuito e não interfere na experiência do sistema — depois de configurado dá até para esquecer que ele existe. Só não descuide caso precise ficar de plantão em uma madrugada qualquer; até explicar para o chefe que seu Android tem o Não Perturbe do iPhone, seu emprego pode ir para o espaço. [Google Play via Zapek]