A Nokia postou algumas imagens que mostram o potencial do seu novo Nokia Lumia 1020. Como não pudemos fotografar e guardar as fotos durante nosso hands-on de ontem, por enquanto vamos ter que tirar conclusões a partir dessas amostras oficiais. Se elas são reflexo de condições de disparo do mundo real, então estamos olhando para algo especial.

É sempre bom observar amostras de fabricantes com um pé atrás, então vamos com calma. As imagens da Nokia parecem de acordo com condições comuns de fotografia. A grande ausência está nas imagens de baixa luminosidade, sem o uso de flash. Vamos ter que esperar um pouco mais para observar isso no nosso próprio teste do Lumia 1020.

Vamos lá.

original

Baixe a versão completa desta foto aqui

Avaliando a qualidade de imagens com a luz do dia, as fotos parecem espetaculares. Os detalhes são claros, especialmente vendo a imagem inteira, sem fazer “crop”. Claro, tudo isso é relativo a outras câmeras de smartphones. Nem o Lumia 1020 conseguiria produzir imagens com qualidade comparável a câmeras mais dedicadas.

Então as imagens parecem ótimas. Mas as coisas ficam mais complicadas quando você começa a lembrar da visão da Nokia de que os donos do Lumia 1020 vão fazer “crop” nos pixels para recompor e dar zoom em detalhes. A questão é, até onde você pode fazer isso antes da imagem perder qualidade?

Observação: os valores de crop são precisos apenas quando a imagem é expandida para o seu tamanho máximo. Clique nela para ver em tamanho completo!

original (1) original (2) original (3)

Baixe a versão completa desta foto aqui

Percebemos que cortar a imagem em até 50% do seu tamanho é o máximo que você vai conseguir (este é um valor subjetivo). Muito mais do que isso faz a sua imagem parecer algo como um dumbphone de 2005. Não, obrigado. E lembre-se também que esse exercício está funcionando com imagens tiradas em ambiente aberto, o que significa nível baixo de ruído. Imagens com baixa luminosidade vão ter menos detalhes, mais ruídos, e vão ficar piores quando cortadas.

Com base nas imagens iniciais, talvez tenha sido um exagero do CEO da Nokia, Stephen Elop, de que será possível dar zoom até encontrar uma agulha em um palheiro para dizer quão boa é a qualidade da imagem, porque mesmo com 41 megapixels, cortar isso tudo provavelmente resultaria em algo ruim.

Outro recurso único da câmera do Lumia 1020 é que ele tem uma boa lente grande angular com distância focal equivalente de 26mm, em comparação com os 33m do iPhone 5 e 31mm do Galaxy S4. Um bom campo de visão amplo é ótimo, mas um efeito colateral disso é que você perde um pouco de nitidez conforme desvia do centro. Se você vai cortar em algum lugar muito longe do centro da imagem, vai notar uma perspectiva distorcida.

Apesar dessas ressalvas, com base nas amostras da Nokia não há como negar que o Lumia 1020 é um enorme passo para frente nas tecnologias de câmeras de smartphones e esperamos que incentive outras empresas a inovarem ainda mais. Estamos ansioso para testá-lo.

Eis alguns links diretos para imagens com resolução máxima (elas têm entre 10 e 12 megabytes)