À medida que recordávamos da agora oficialmente morta sonda Opportunity na semana passada, um fato me surpreendeu: essa máquina percorreu 45 quilômetros da superfície de outro planeta. E ela fez isso em poucos e curtos impulsos. Ao longo de 14 anos, 45 quilômetros podem não parecer tanto assim, mas considere os vários obstáculos que a sonda enfrentou, incluindo um agonizante período de 38 dias presa girando suas rodas em uma duna de areia fofa.

A Opportunity viajou exatamente 45,16 quilômetros durante seu tempo na superfície marciana. Isso é mais do que a distância percorrida pelo rover lunar Apollo 17 (35,7 quilômetros), pelo rover soviético Lunokhod 2 (38,6 quilômetros), pelo Curiosity (19,7 quilômetros) ou pelo parceiro do Opportunity, o rover Spirit (7,7 quilômetros). Ao longo do caminho, ele tirou imagens de vastas planícies, dunas de areia e crateras — e encontrou evidências de água no Planeta Vermelho.

A impressionante jornada da Opportunity. Foto: James 919 (Wikimedia Commons)

Não é fácil conduzir um rover por Marte. Os engenheiros não conseguem controlá-lo em tempo real, dado o atraso de 20 minutos na comunicação entre os planetas. Se o Opportunity começasse a deslizar para um penhasco, por exemplo, os engenheiros não seriam capazes de enviar comandos para pará-lo até que fosse tarde demais. Por isso, eles precisam enviar comandos para que o rover se mova apenas em uma curta distância, obter novos dados, reavaliar e, em seguida, enviar novos comandos. Como a NASA descreve em uma página informativa, mover o Oppy era um processo meticuloso.

O rover e sua equipe também superaram muitos problemas técnicos relacionados a direção, aquecedores e memória interna. Tempestades de poeira violentas ameaçaram a sonda, cobrindo seus painéis solares com detritos e a privando de sua fonte de energia.

Talvez o melhor exemplo dos desafios enfrentados pela Opportunity tenha sido os 38 dias marcianos que ela passou presa em uma duna, incapaz de obter a tração necessária para sair da areia fofa. Depois de mais de 191 metros de rotações de rodas cuidadosamente planejadas, a equipe foi finalmente capaz de empurrar o rover para fora e seguir em frente com sua jornada.

No fim, o que acabou derrotando o rover não foi uma duna de areia, mas uma enorme tempestade de poeira marciana. No entanto, a missão foi um grande sucesso que revolucionou nossa compreensão de Marte. Durante suas longas viagens, a Opportunity capturou uma grande variedade de imagens estranhas e maravilhosas no Planeta Vermelho. Abaixo, selecionei alguns dos meus cartões postais favoritos da grande aventura de Oppy.

Opportunity em sua longa jornada entre as crateras Victoria e Endeavour. Imagem: NASA/JPL-Caltech/Ryan F. Mandelbaum

Pilha de rochas dentro da cratera Endeavour. Imagem: NASA/JPL-Caltech/Ryan F. Mandelbaum