Algumas das principais companhias aéreas do mundo, estão tendo que cancelar ou alterar voos para os Estados Unidos devido a uma disputa em andamento sobre o lançamento da tecnologia de telefonia móvel 5G perto de aeroportos americanos, as mudanças já geram confusões em viagens para os EUA.

A principal preocupação é de que o novo serviço de rede móvel, interfira na tecnologia das aeronaves e cause problemas. As aéreas afirmam que o uso da Banda C (faixa que utiliza o espectro entre 3.7 GHz a 6.425 GHz) no 5G poderia interferir em componentes eletrônicos da aeronave, especialmente os altímetros (medidores de altitude).

Um alerta emitido pela Administração Federal de Aviação (FAA), falou da possível interferência do 5G, que pode prejudicar as leituras de altura que desempenham um papel fundamental em pousos com mau tempo.

O problema parece afetar particularmente o Boeing 777, uma aeronave de longo alcance, usada por transportadoras em todo o mundo — especialmente a Emirates Airlines. A aeronave é a principal da Emirates, com sede em Dubai, é uma das mais importantes operadoras de viagens Leste-Oeste, e sua programação de voos sofreu um dos maiores impactos.

Impacto no Brasil

Em nota, a Latam disse que precisou retirar seu Boeing 777, com capacidade para 410 passageiros, de alguns voos programados entre Brasil e EUA. Para não cancelar os voos, a empresa utilizará o Boeing 787, que comporta 300 passageiros, na rota Guarulhos-Miami e o Boeing 767, com lotação de 221 pessoas, na rota Guarulhos-Nova York.

“A Latam lamenta essa situação totalmente alheia à sua vontade e não está medindo esforços para comunicar diariamente a todos com a maior antecedência possível”, disse a companhia.

Assine a newsletter do Gizmodo

Os cancelamentos e alterações, aconteceram mesmo após as operadoras de telefonia móvel Verizon e AT&T, disseram que adiarão o novo serviço de 5G perto de alguns aeroportos dos EUA planejados para esta semana.

A ANAC americana e a FAA, liberaram várias aeronaves para voar em aeroportos que têm o sinal 5G, entretanto o Boeing 777 não consta na lista.

Vale lembrar, que no ano passado, as duas maiores fabricantes de aviões do mundo, fizeram um pedido para que o governo dos Estados Unidos adiasse a implantação da tecnologia de 5G nos EUA.