Não existe um lugar bom para ter um parasita no corpo, mas médicos na Índia disseram que um paciente deles de 80 anos desenvolveu um caso particularmente infeliz. A infecção por vermes do homem o deixou com o testículo direito maciço e inchado.

Segundo o relato, publicado no início do mês no BMJ Reports, o homem marcou uma consulta para reclamar de ter encontrado sangue na urina, um sinal comum de infecção no trato urinário. Porém, quando ele foi examinado fisicamente, os médicos descobriram que ele tinha um testículo direito “grosseiramente aumentado”, enquanto o testículo esquerdo estava normal. Além disso, o testículo parecia “duro como uma pedra” durante o toque.



Testículo do homem com hidrocele. Crédito: Goel A, Kumar P, Jain M, et al, BMJ ReportsTestículo do homem com hidrocele. Crédito: Goel A, Kumar P, Jain M, et al, BMJ Reports

Após os médicos examinarem o paciente em uma tomografia computadorizada, eles constataram a presença de um saco cheio de líquido que não deveria estar lá. O tipo de saco que eles descobriram é chamado de hidrocele, que se forma quando o fluido se acumula em um revestimento fino que circunda um testículo. Aparece frequentemente em recém-nascidos, desaparecendo no momento em que completam um ano sem causar nenhum dano. Mas quando acontece em homens mais velhos, geralmente é devido a uma lesão local ou inflamação no escroto, geralmente causado por uma infecção.

Neste caso, os médicos suspeitavam que o homem havia sido contaminado por uma espécie de verme filarial, que são nematóides semelhantes a fios comumente encontrados em áreas mais quentes do mundo. Esses vermes chegam às pessoas como larvas por meio de picada de mosquito e, em seguida, migram para os gânglios linfáticos espalhados pelo corpo, incluindo a região próxima ao testículo.

A princípio, algumas vítimas podem experimentar pouco mais do que uma doença semelhante à gripe, enquanto a maioria não sentirá nada. Mas se uma infecção não for tratada, a larva produzida por vermes adultos pode bloquear importantes vasos linfáticos que desencadeiam crises de inchaço doloroso e tornam as pessoas mais vulneráveis a outras infecções. Se isso acontecer por tempo suficiente, o inchaço pode desfigurar permanentemente as partes afetadas do corpo, uma condição conhecida como elefantíase.

A filariose linfática, como é conhecida, infelizmente é endêmica na Índia. E em partes endêmicas do mundo, essas infecções são realmente a causa mais comum de hidrocele nos homens, de acordo com os autores do estudo de caso. Mas a “calcificação da casca do ovo” do testículo do homem é uma complicação extremamente rara, provavelmente o resultado de uma infecção muito longa dentro do saco, que causou a formação de cálcio ao redor dele.

Essas infecções são apenas um pouco tratáveis em áreas endêmicas. Os medicamentos atuais tomados anualmente podem matar a maioria dos vermes larvais produzidos por adultos, o que pode reduzir o risco de complicações e interromper o ciclo de transmissão das pessoas infectadas de volta aos mosquitos. Mas eles têm um efeito limitado em vermes adultos, que podem viver até oito anos no corpo. Outros tratamentos, como cirurgia, também são necessários para as complicações causadas por uma infecção crônica, incluindo a remoção da hidroceles.

Os autores não descrevem como o paciente foi tratado. Mas, seguindo as recomendações estabelecidas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), eles defendem que as pessoas que vivem em áreas de alto risco sejam tratadas com medicamentos anti-filariais anualmente, independentemente do status de infecção. Segundo a OMS, quase 900 milhões de pessoas em 49 países precisam de tratamento preventivo, enquanto 25 milhões de homens com a infecção tem hidrocele.